Dois papas, dois presidentes e duas ideologias - Revista Oeste

Revista

Dois papas, dois presidentes e duas ideologias
No dia em que celebramos o legado de João Paulo II, Francisco assina acordo com o Partido Comunista Chinês
23 out 2020, 10:20

Nesta quinta-feira, 22 de outubro, a Igreja Católica comemorou o Dia de São João Paulo II. Foi nessa data que, em 1978, Karol Wojtyla celebrou sua primeira missa como papa, iniciando seu pontificado.

João Paulo II faleceu em 2005, mas o legado de João de Deus, como era carinhosamente chamado pelos cristãos brasileiros, não foi deixado apenas para os que vivem na fé católica, mas também para os que entendem o real significado da palavra liberdade. Há muitas evidências nas ações desse homem fantástico, respeitado por pessoas de todas as religiões e, inclusive, agnósticos, de que o mundo em que vivemos hoje talvez não seria tão livre e próspero se não fosse por diversas de suas obras com seus aliados, Ronald Reagan e Margaret Thatcher.

Ronald Reagan, João Paulo II e Margaret Thatcher tinham a verdadeira perspectiva histórica e defendiam os temas que estão na civilização ocidental desde os tempos greco-romanos e mesmo bíblicos. Eles entenderam que a liberdade não é o estado natural nem normal da sociedade, mas algo que é estabelecido por meio de um contrato social. Um contrato social no qual seus valores fundamentais devem ser reforçados e, quando necessário, protegidos contra as pressões do estatismo, como o da União Soviética, e as forças do mal, como o comunismo.

John Lewis Gaddis, professor de História Militar da Universidade de Yale, uma vez escreveu que, ao beijar o chão no Aeroporto de Varsóvia em 2 de junho de 1979, em sua primeira viagem como papa, João Paulo II iniciou o processo pelo qual o comunismo na Polônia — e finalmente em todos os lugares — chegaria ao fim.

Gaddis, que não é católico, mostra por que sua perspectiva sobre a queda do comunismo começa naquele dia de junho. Um milhão de poloneses se reuniram dentro e ao redor da Praça da Vitória em Varsóvia para uma missa pública — impensável na Polônia comunista, exceto pelo fato de que não pôde ser negada a um papa polonês. Enquanto João Paulo pregava a verdadeira história de seu país — a história de um povo formado por sua fé —, um canto rítmico ecoava pelas ruas até a praça: “Queremos Deus! Queremos Deus!”. Era a voz da Polônia, parte do bloco comunista, onde a guerra da doutrina marxista-leninista contra a religião imperava, gritando para o mundo todo ver e ouvir que a fé e a esperança não sucumbiriam ao comunismo, regime fortalecido quando o ateísmo se inicia.

O papa e o presidente tinham o poder de hipnotizar as massas

Mas a ideologia nefasta que já havia matado milhões pelo planeta tinha um problema pela frente, um baita problema. Ronald Reagan e João Paulo II eram homens do mesmo tempo. Ambos ficaram horrorizados com a guerra nuclear, odiavam o comunismo e o regime da União Soviética. Os dois foram baleados, sobreviveram e perdoaram seus agressores. Cresceram pobres, foram atletas e, curiosamente, atores. E foi exatamente a vida teatral que lhes forneceu a entonação correta nos discursos, a conexão com o coração de quem os via e ouvia suas palavras, e a naturalidade para estar diante de grandes audiências. O papa e o presidente tinham o poder de hipnotizar as massas com seus discursos cheios de verdade, amor e uma fé tremendamente inspiradora.

Em suas primeiras observações da varanda da Basílica de São Pedro, o papa deixou claro o que pensava dos soviéticos. Reagan não apenas criticou o comunismo durante anos, mas foi o primeiro líder mundial a chamar o regime do que ele realmente é: “Evil empire”, ou império do mal.

O mais importante, e talvez o que tenha ligado tão profundamente o papa e o presidente norte-americano, é que ambos acreditavam piamente que foram chamados por Deus para fazer grandes ações pela liberdade do mundo. E, de fato, João Paulo II disse em 1982 que “a América era chamada, acima de tudo, para cumprir sua missão” e que “as condições indispensáveis de justiça e liberdade, verdade e amor, que são os fundamentos de uma paz duradoura, eram características da América”. Em sua primeira encíclica, escreveu que a liberdade religiosa era o direito humano essencial, um tiro direto nos soviéticos. João Paulo II também começou a rebaixar ou mesmo expulsar aqueles que sempre queriam “acomodar” comunistas dentro da igreja.

Para Reagan, que foi presidente do Sindicato dos Atores de Hollywood (Screen Actors Guild) e já conhecia todos os tentáculos do comunismo desde quando a ideologia tentava se infiltrar no cinema norte-americano nos anos 1950, não havia nada mais importante que a derrota da União Soviética. Quando ficou evidente que o Vaticano estava se unindo na luta contra o “comunismo sem Deus”, e isso deve ter causado arrepios nos antigos coletivistas do Politburo, o comitê central do partido comunista soviético, Reagan sabia que sua contraofensiva pesada ao Kremlin contaria com a colaboração da cúpula da Igreja. E isso foi crucial para a derrota do império do mal.

Na mesma semana em que celebramos o legado de João de Deus, o atual papa segue surpreendendo — e desapontando — fiéis pelo mundo. Depois de não perder tempo em se manifestar sobre pandemia, racismo, queimadas na Amazônia, união homoafetiva e capitalismo malvadão, entrando para o time do aplauso fácil, Francisco, até a conclusão deste texto, ainda não havia se pronunciado especificamente sobre as igrejas incendiadas pela extrema esquerda no Chile nesta semana.

Francisco mantém distância dos EUA e aproxima-se da China

A Igreja da Assunção, após ser invadida por vândalos encapuzados durante uma grande manifestação na capital chilena, foi tomada pelas chamas criminosas. Enquanto a estrutura era destruída, muitos dos criminosos filmavam as gigantescas labaredas e comemoraram o ataque: “Deixa cair, deixa cair!”. Quando uma das torres de uma das construções veio ao chão, em chamas, gritos da celebração atingiram altos decibéis. O silêncio do papa também continua ensurdecedor. Os protestos no Chile marcaram um ano das revoltas que aconteceram no país no fim do ano passado, quando manifestantes tomaras as ruas para reclamar das políticas econômicas do governo.

Não é apenas o silêncio do papa Francisco em relação aos incêndios criminosos em igrejas no Chile que incomoda os fiéis — e afirmo isso como uma católica praticante. Depois de recusar em setembro um pedido de encontro feito pelo secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, que representa a nação que mais defende a liberdade no mundo, o papa argentino decidiu renovar um acordo com o Partido Comunista da China sobre a nomeação de bispos. Na prática, a medida dá a Francisco a palavra final acerca da nomeação de lideranças católicas no país asiático. Antes do acordo provisório assinado em 2018 e renovado agora, a China se recusava a aceitar que a nomeação dos líderes religiosos viesse do Vaticano, uma vez que não reconhece o papa como chefe da Igreja Católica.

Não precisa ler novamente. Você leu isso mesmo. No dia 22 de outubro, quando celebramos o legado de São João Paulo II, que inclui a brilhante, essencial e espetacular luta contra o comunismo, o papa Francisco assinou um acordo com o Partido Comunista Chinês. A nota oficial do Vaticano diz que o acordo “pretende continuar o diálogo aberto e construtivo para promover a vida da Igreja Católica e o bem do povo chinês”.

Entre as recentes declarações no mínimo estranhas do papa Francisco, há duras críticas à visão de que o liberalismo econômico possa ser a resposta para os problemas sociais do mundo. Ele também afirmou que as limitações do capitalismo foram expostas pela crise provocada pela pandemia de coronavírus, mas que aqui vamos chamar de — Vossa Santidade, tape os ouvidos — vírus chinês. E por falar em capitalismo, o papa argentino ainda não se pronunciou sobre a excepcional economia socialista de Alberto Fernández em seu país.

João Paulo II e Reagan trabalharam juntos para pôr fim ao comunismo soviético ateu. Os dois tinham um plano divino para impedir o império soviético que estava envolvido em uma guerra contra a religião e as liberdades individuais. O trabalho de um papa e de um presidente ajudou a provocar o colapso do comunismo e gerou mais liberdade e oportunidades para as pessoas em todo o mundo.

A ascensão do capitalismo, junto com o colapso do socialismo, melhorou espetacularmente as condições de vida das pessoas em todo o planeta. Dados do Banco Mundial mostram que a parcela da população global que vivia na pobreza era de 42,3% durante o primeiro ano da Presidência de Ronald Reagan. Em 2018, caiu para 4,8%. Isso significa que quase 1,25 bilhão de pessoas saíram da extrema pobreza. Graças à liberdade e ao capitalismo. Shhh… fale baixo, seu herege.

Os (poucos) fiéis que ainda tentam defender as declarações progressistas de Bergoglio insistem que o silêncio sobre as igrejas queimadas no Chile, a perseguição a cristãos no mundo, os campos de concentração de uigures na própria China, e tantos outros eventos sérios que não mereceram a palavra da Santidade, é um silêncio sábio e humilde, inspirado por Deus para “não colocar mais lenha na fogueira” da discórdia. Fogo que merece lenha do papa, só o da Amazônia. E com os aplausos de Hollywood. Esse papa é pop.

Leia a reportagem “O capitalismo sob ataque”, de Selma Santa Cruz

E também o artigo “Ideias, intuição moral e compromisso ideológico”, de Bruno Garschagen

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

39 Comentários

  1. Cara Ana Paula, de seu admirador enquanto atleta passo a lhe admirar pela alta performance também nas letras: texto extremamente bem estruturado, linguajar claro e erudito ao mesmo tempo, com argutas pitadas de provocação.
    Além da forma, conteúdo excelente e atual. Sendo “católico praticante” e, portanto, seu irmão de fé, alegra o coração verificar ainda haver esperança na imprensa, em particular com pessoas como você que não tem medo algum em “mostrar a cara”.
    Parabéns! Que Deus te abençoe sempre e mais!

    Responder
    • Cara Ana Paula! Excelente artigo!!!! Assisto a seus comentários todos os dias do Pingos nos Is …. cada dia a admiro mais pela coerência e capacidade de transmitir aos demais os seus (e meus também) desejos de liberdade!!!

      Responder
      • Esqueceu de citar que o Papa cancelou uma viagem ao Brasil em 2016 para as celebrações de Nossa Senhora Aparecida em protesto ao “golpe” que resultou no impeachment de Dilma. Esse Papa faz parte da elite subdesenvolvida e retrógrada terceiromundidta da América Latina. Envergonha as melhores tradições de amor ao próximo, solidariedade e fraternidade da Igreja católica.

        Responder
        • Amigo, esse Papa faz parte sim de uma elite, mas da progressista globalista. Vergonha ñ p/a tradicão Católica, mas (espero) p/os membros dessa entidade secular.

          Responder
        • Esse traidor de Cristo cada vez mais mostra sus véia comunista. Que o demônio o carregue !

          Responder
        • São João Paulo II, rogai por nós.

          Responder
          • Excelente artigo, Ana Paula. Parabéns!

            Responder
      • Excelente artigo, extremamente lúcido e verdadeiro. Parabéns!

        Responder
  2. Excelente análise sobre o Papa Francisco, ele não nega ser portenho e peronista, além de ser adepto ferrenho da teologia da libertação. Como a maioria dos argentinos tem horror aos chilenos.

    Responder
    • Também como católico estou profundamente decepcionado com esse papa de hoje,que está traindo a igreja e o cristianismo. Excelente artigo. Apenas senti falta de comentário a respeito de Bento XVI, o papa esquecido

      Responder
  3. Ana Paula,nada mais a comentar depois da leitura desse texto que descreve a realidade de nossa época conturbada.Sensacional o artigo, melhor impossível.

    Responder
  4. Cara Ana Paula.Quem viveu o tempo de Ronald Reagan e João Paulo II fica alegre com as recordações que seu texto traz.E relembrando esse passado confrontado com o presente, tendo como chefe da Igreja, um Francisco Bergoglio fico muito triste como católico.E confesso humilde e envergonhado um certo “asco”por por vê-lo cínico e impassível frente a Cristofobia,a Pedofilia,Comunismo,(sem falar na pobre Venezuela e Argentina)pelo qual Papa Bento XVI renunciou para elegê-lo.Acompanho seu crescente prestígio no jornalismo brasileiro.Parabéns!

    Responder
    • As pessoas tem o hábito de criticar severamente quando alguém faz algo que contraria suas opiniões. O papa Francisco tem priorizado muito o enfrentamento à pedofilia, como a revogação do ‘segredo pontifício’ em casos de pedofilia na Igreja.
      Enfatiza o dever geral de cooperar com a Justiça e proíbe explicitamente a imposição de silêncio às vítimas de violência sexual e abusos.
      O acordo com a China, dá ao papa a palavra final sobre a nomeação dos bispos chineses e o governo chinês permite que eles reconheçam a autoridade do pontífice. É uma coisa muito complicada poia a China nunca reconheceu o papa como chefe da Igreja católica.

      Responder
      • Tenha a santa Paciência!!!! A China é uma ditadura comunista!!!!

        Responder
      • Demorou até aparecer uma alminha pura para defender o santo comuna.

        Responder
      • Menos!

        Acaso Cristo negociou o reconhecimento de sua Divina Majestade com Pilatos?

        Última palavra: Sim, Sim, Sr. Xi Jimping.

        Responder
  5. Um vagabundo da pior espécie.
    Tomara que seja mesmo “o papa do fim do mundo”.

    Responder
  6. Senhor Elson. Seu vocabulário é mal educado e não serve ao gráu de liberdade que a Oeste oferece aos associados. Lamentável!

    Responder
    • Tampouco seu PATRULHAMENTO nos tem alguma serventia. É óbvio seu direito de manifestação de opinião. Entretanto, par exercer tal direito, primeiro deveria aprender a diferença entre opinião e julgamento. Claro que não falo em nome da Revista. Mas, nem precisaria para expressar APENAS MINHNA OPINIÃO SOBRE IDEIAS, posto que, como assinante sou um membro dessa comunidade. No seu caso, houve um julgamento direto com uma ofensa direta. Isso é INACEITÁVEL, NO MEU ENTENDER (claro) na medida em que no cabeçalho desta sessão, Comentários, lê-se as regras:
      *O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
      Assim, é de estranhar que a Revista Oeste tenha deixado escapar aos seus olhos uma violação GRAVE que pode ser usada como precedente para futuros “rasgos” totalitários de mesmo viés falso-moralista. Como dizia John Philpot Curran, The price of freedom is eternal vigilance
      (frase, muitas vezes atribuída erradamente a Thomas Jefferson, mas jamais foi encontrada nos seus escritos) que quer dizer, O preço da liberdade é a eterna vigilância.

      Responder
    • Ui! Que educadinho! Deve ter horror a palavrão e toma chá levantando o dedo mindinho.

      Responder
  7. Senhor Elson. Seu vocabulário é mal educado e não serve ao gráu de liberdade que a Oeste oferece aos associados. Lamentável!
    Nunca disse tal coisa e estou fazendo um reparo, apenas!

    Responder
    • O Elson está certíssimo. Parabéns Elson.

      Responder
    • Chilique de progressista mimizento politicamente correto!

      Responder
  8. Ana Paula, esse Papa não é muito católico, não.

    Responder
  9. Prezada Ana Paula,
    Como católico praticante, faço minhas todas as suas palavras. Nosso papa, infelizmente, fala quando não deveria e se cala quando deveria falar.
    Meu papa é Bento XVI, quem defendia os verdadeiros valores cristãos sem proselitismo; o papa Francisco só sabe “jogar para a torcida”, mas não age quando tem de agir, como no caso dos incêndios das igrejas no Chile, por exemplo.
    Parabéns pelo excelente e brilhante artigo, que se torna ainda mais relevante por ser da autoria de uma católica praticante.
    Paz e Bem !

    Responder
  10. Esse Papa não é Católico!.

    Responder
  11. Vou escrever alguma coisa aqui para o teu algoritmo de audiência me dectar…
    Sistemas políticos passam, presidentes passam, papas passam. Pelé é o maior. Deus é eterno. Você deveria morar em São Paulo. Está perdendo a chance de ser vacinada com produto genuinamente chinês comunista. Os paulistas serão os privilegiados de serem os primeiros a receberem as bênçãos da ciência médica e política. Depois, se sobrar alguma coisa, a Globo já se ofereceu para fazer o sorteio dos próximos Estados, com acompanhamento de auditores independentes e das loterias. Depois de São Paulo poderão receber o produto miraculoso o Maranhã, Rio de Janeiro, etc. etc. Também já ouvimos falar que a China terá condições de produzir e distribuir em nove meses 5 bilhões de vacinas para o mundo todo. Lá também terá um sorteio, lógico. A bolinha dos Estados Unidos será proibida de entrar no sorteio. Por isto, venha logo para São Paulo.

    Responder
  12. Depois de ler o brilhante texto da Ana Paula, fiquei ainda mais impactada pelo vídeo do Chile ! Socorro !! Que Papa é esse ??

    Responder
  13. Esse tal de Chico é uma santidade fake, à serviço dos pop’s progressistas.

    Responder
  14. Na minha visão, desde que assumiu o seu pontificado, esse papa se comporta como militante de esquerda mais comprometido com a agenda progressista do que com os assuntos da esfera doutrinário-religiosa. Ou seja, deixa de exercer a liderança de sua Igreja em detrimento de agenda politico-ideológica de cunho nitidademente marxista.

    Responder
  15. Esse papa é comunista! A esperança é que o próximo seja cristão de verdade! A fé não pode acabar!

    Responder
  16. Parabéns Ana Paula! Disseste em palavras simples e certeiras o que, eu imagino, todas as pessoas de boa vontade pensam do falso líder da religião que sempre foi o esteio da civilização ocidental.

    Responder
  17. O atual papa não recebeu o secretário de estado norte americano Mike Pompeu ,
    mas recebeu o apedeuta (Lula).
    É de se perguntar quando ele receberá o traficante Fernandinho Beira-mar ou
    o Marcola ?
    Esse papa guspiu na cara de nós brasileiros e debochou de todos os nossos infortúnios nesses 13 anos petista aonde nossa nação foi saqueada por essa turba de bandidos !
    Eu não compreendia porque os argentinos odeiam esse papa!
    Está explicado

    Parabéns Ana Paula ,matéria que vai no âmago das polêmicas de uma maneira cristalina !

    Responder
  18. Musa.

    Responder
  19. Cara Ana Paula, você conseguiu entrar no mundo jornalístico com a mesma garra e galhardia com as quais sempre defendeu nosso país!!
    Parabéns pelo artigo !!!

    Responder
  20. Gostaria de conhecer o pensamento dos Cardeais que o elegeram esse Papa progressista.

    Responder
  21. Parabéns pelo artigo Ana.

    Responder
  22. PARABÉNS! Pela lucidez, clareza e oportunidade do artigo. Continue firme!

    Responder
  23. Parabéns por tudo que escreveu. Sinto exatamente como você no que se refere ao Papa Francisco.
    Quanto ao Papa João Paulo II tive a felicidade de estar com ele em Roma. No dia que recebia os 15 Embaixadores fui colocada na cadeira junto a eles. Chegando o Papa João Paulo
    fui levada para sua bencão. Eu me ajoelhei e ele dirigiu sua mão. Eu a beijei e fiquei paralizada defronte . Ele com um divino sorriso, fixando seus olhos nos meus, as lágrimas caiam. Ele então, passou sua mão em meu rosto. Não conseguia dar uma palavra.E, o sorriso do Papa me fez chorar mais com lágrimas escorrendo pelo rosto. Depois o Cardeal que ficava ao lado de sua cadeira se dirigiu para a despedida.Tenho em mim toda a emocão contida.
    Não percebi que havia um fotógrafo batendo fotos. Foi-me comunicado que me dirigisse à casa do Cardeal que me proporcionou este tempo inimaginável.Era a primeira coluna naquele círculo na Praça e lá estavam 8 lindas fotos. Ficaram belíssimas e me fizeram a pessoa mais feliz do mundo.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OESTE NOTÍCIAS

R$ 19,90 por mês