-Publicidade-

‘Agricultura anda com a sustentabilidade’, afirma Tereza Cristina

Ministra volta a defender a regularização fundiária como meio de conter o desmatamento na Amazônia
A ministra da Agricultura, Tereza Cristina | Foto: WILSON DIAS/AGÊNCIA BRASIL
A ministra da Agricultura, Tereza Cristina | Foto: WILSON DIAS/AGÊNCIA BRASIL | A ministra da Agricultura, Tereza Cristina | Foto: WILSON DIAS/AGÊNCIA BRASIL

Ministra volta a defender a regularização fundiária como meio de conter o desmatamento na Amazônia

agricultura
A ministra da Agricultura, Tereza Cristina | Foto: WILSON DIAS/AGÊNCIA BRASIL

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, reafirmou no domingo 16 que os produtores rurais não são desmatadores. “Tem gente que fala mal sem saber. A agricultura anda com a sustentabilidade”, garantiu em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo. Ela também ressaltou a necessidade de se aplicar o Código Florestal, para que seja possível a regularização fundiária. Dessa forma, a medida ajudará a reduzir o desmatamento na floresta amazônica, segundo a ministra, que vem sendo tema de debates na comunidade internacional, sobretudo nos países da União Europeia.

Quer saber como anda o acordo entre Brasil-UE? Leia a entrevista exclusiva com o chanceler Ernesto Araújo publicada na edição n° 18 de Oeste

Além disso, a legislação define as áreas de vegetação conservada e as que podem ser usadas para agricultura e pecuária, com a previsão de punições para o proprietário da terra em caso de infrações. “A regularização fundiária vai levar ao desenvolvimento. E o desenvolvimento não quer dizer que você vai ter a degradação ambiental. Quando tem pobreza, as pessoas não têm como se manter. Aí, você tem perigo”, observou, ao rebater acusações de que o Brasil não se preocupa com o meio ambiente. “Em 66% do nosso território a vegetação nativa está de pé”, garantiu.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês