Ambev tem lucro de R$ 3,5 bilhões no 1º trimestre de 2022

Cervejaria celebra retomada do consumo fora de casa e tem crescimento de 28,5% no período
-Publicidade-
Receita líquida da Ambev totalizou R$ 18,5 bilhões no primeiro trimestre
Receita líquida da Ambev totalizou R$ 18,5 bilhões no primeiro trimestre | Foto: Divulgação

Maior cervejaria do país, a Ambev registrou lucro de R$ 3,5 bilhões no primeiro trimestre de 2022, com crescimento de 28,5% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Já a receita líquida da Ambev totalizou R$ 18,5 bilhões, um resultado orgânico 18,5% maior do que o observado um ano antes.

No relatório ao mercado, a Ambev argumenta que o desempenho no período foi ajudado pela retomada do consumo de bebidas fora de casa. O grupo também aponta crescimento do portfólio de embalagens retornáveis.

-Publicidade-

O Brasil foi o primeiro da América Latina a receber as garrafas retornáveis. Nesse formato, as apostas mais recentes são as garrafas long neck da Brahma Duplo Malte e da Corona. Outras marcas, como Skol, Brahma e Antarctica, também já têm portfólio com embalagens retornáveis.

“Apresentamos um sólido desempenho comercial no primeiro trimestre, impulsionado pela execução consistente de nossa estratégia baseada em premiumização, inovação e plataformas tecnológicas”, informou a Ambev, em comunicado.

“Apesar de um janeiro bastante desafiador, impactado por uma nova onda de variante da covid-19 em alguns de nossos mercados e pelo cancelamento das festividades de Carnaval no Brasil, nosso volume cresceu 3,6%. Esse resultado foi impulsionado principalmente por nossa performance no Brasil, onde fomos capazes de ‘aproveitar o momento’, com a retomada das ocasiões de consumo fora de casa em fevereiro e março.”

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário Ver comentários

  1. Imagine então se pegasse a moda de resolver guerras e outros conflitos na base da cervejada, conforme ‘ensinou’ o ex-presidiário? Não seria mais necessário Poder Judiciário, advogados de defesa, habeas corpus promotores, faculdades de direito, livrarias especializadas no ramo, etc. E nem precisaríamos esperar décadas para resolver alguns conflitos e nem haveria prescrições de pena! Em vez de escritórios de advocacia teríamos botecos espalhados pelo país! Acho que vou votar na Daniela Mercury, digo, no condenado!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.