Antes de deixar o Brasil, Ford anunciou investimento de US$ 580 mi na Argentina

O anúncio foi feito pelo presidente do país latino-americano, Alberto Fernández, e confirmado pela montadora
-Publicidade-
Argentina e Ford firmam parceria para os próximos anos
Argentina e Ford firmam parceria para os próximos anos | Foto: Reprodução/Twitter

A Ford vai investir US$ 580 milhões para fabricar a nova geração da Ranger na Usina de Pacheco, na Argentina, em 2023. O anúncio foi feito pelo presidente do país latino-americano, Alberto Fernández, e confirmado pela montadora em comunicado emitido em dezembro de 2020. Há dias, a companhia anunciou o fechamento das fábricas no Brasil.

Em nota, a empresa norte-americana informou que irá reestruturar a unidade para a fabricação do modelo. A empresa ressaltou que continuará “compromissada com a Argentina”, investindo em fabricação de veículos e gerando empregos.

“Este projeto reafirma o compromisso de longo prazo da Ford com a Argentina, investindo na fabricação de produtos globais de alto conteúdo local destinados principalmente ao mercado de exportação, criando empregos de qualidade e contribuindo para o desenvolvimento da comunidade”, afirmou.

Leia também: “Sem fábricas, Ford se diz ‘comprometida com os clientes no Brasil’”

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

16 comentários Ver comentários

  1. á Sim, a Ford fechou as fábricas no Brasil mas não saiu do país. O que ocorre é que ela vai se transformar de montadora em importadora. Vai continuar vendendo seus veículos em nosso mercado mas não fabricará mais aqui. O “pequeno” detalhe que pouca gente sabe é que para uma marca abandonar o país ela deve indenizar todos os concessionários, receber de volta os veículos, peças e ferramental recém-faturados (e que ainda não tenham sido pagos pelo concessionário). Isso está na lei que regula as relações entre os fabricantes e os concessionários de veículos (Lei Renato Ferrari, 1979). Atualmente, a Ford tem 282 concessionários (já teve mais – em 1993 eram 413) e creio que muitos irão trocar de bandeira (principalmente os de cidades pequenas, com 100.000 habitantes ou menos) pois não terão mercado para os produtos importados. Não ficaria nada impressionado se no final deste ano a Ford tivesse metade ou menos do número atual de concessionários.

  2. A Ford blefou com as autoridades brasileiras ela queria peito para mamar no erário e como Bolsonaro fechou as torneiras para os mamateiros, ela chutou o balde imaginando que a perda de 5 000 empregos faria o governo pedi arrego…Aqui temos juros, e inflação(3,5%) baixa e cambio flutuante… Na Argentina se tem câmbio imprevisível, inflação passando dos 40% para 21 e juros bem mais altos do que os nossos…além de ter um mercado quatros vezes menor do que o nosso…aonde está a lógica de uma decisão dessa???Peço aos consumidores de carros Ford que mudem de marca…A GM acaba de anunciar um investimento de R$ 10 Bilhões no vácuo da saída da Ford…A Fundação Ford está alinhada com os Globalistas…

    1. EXATAMENTE. Concordo com tudo dito, em número, gênero e grau!!
      VAMOS TODOS BOICOTAR A FORD, e em 8 anos dificilmente veremos um carro da Ford circulando por aqui

  3. Se mudam para a Argentina para explorar a mão de obra na bacia das almas e depois, como a Argentina não tem mercado para isso, exportam para o Brasil, através do tal do Mercosul. Resultado: Perdem-se empregos por aqui e ao mesmo tempo, eles vendem por aqui também. Legal, não é?

  4. A marca nos deixou, ok, vamos fazer o mesmo com eles então. Fico triste pelos proprietários que vão amargar o prejuízo da perda de força da marca com essa atitude de abandono

    1. Impostos + burocracia para manter a Elite atuante e aposentada no patamar atual. Se não alimentarem as galinhas de ovos de ouros que sobraram no galinheiro,em pouco tempo, a mamata irá acabar.

      1. Assim como o Macron quer parar a importação da soja, nos devemos boicotar os produtos da Argentina Comunista.

  5. A Ford só não está contando com o fato de que os consumidores perderam a confiança na marca depois de deixar os clientes do Brasil sem assistência do dia prá noite. Além do que o motor da Ranger já vem dando problemas há bastante tempo.

    1. Já era uma politica antiga da Ford. O custo Brasil é alto para todos! E mais ela deve 300 milhoes ao BNDES fora o que ja teve de incentivo financeiro .
      GM vem com 10 BI. A Ford errou sua estratégia e perdeu terreno. Simples assim.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.