Apple pede que fabricante de componentes migre produção da China para o Vietnã

Empresa norte-americana busca minimizar o impacto da guerra comercial entre China e Estados Unidos
-Publicidade-
O Atmos reorganiza o espectro de forma que os sons pareçam vir de todos os lados — de cima, de baixo, e circulando ao redor da cabeça | Foto: Divulgação/Redes sociais
O Atmos reorganiza o espectro de forma que os sons pareçam vir de todos os lados — de cima, de baixo, e circulando ao redor da cabeça | Foto: Divulgação/Redes sociais

Empresa norte-americana busca minimizar o impacto da guerra comercial entre China e Estados Unidos

Apple
Celular da Apple | Foto: Daniel Teixeira/Estadão Conteúdo

A Foxconn, a maior fabricante mundial de componentes eletrônicos, está movendo parte da fabricação de iPads e MacBooks da China para o Vietnã a pedido da Apple. A informação vem de fontes ouvidas pela agência Reuters nesta quinta-feira, 26.

-Publicidade-

A empresa norte-americana busca minimizar o impacto da guerra comercial entre China e Estados Unidos em um momento em que o presidente Donald Trump incentiva as empresas do país a tirar produção da nação asiática.

Leia mais: “Itamaraty reage à declaração da embaixada chinesa”

Eletrônicos fabricados na China são alvo de tarifas de importação mais altas, além de restrições de fornecimento de componentes produzidos com tecnologia norte-americana para empresas chinesas.

A Foxconn mudou ou está considerando transferir parte da produção da China para países como Vietnã, México e Índia.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

4 comentários Ver comentários

    1. E porque não dizer, grandes consumidores e mão de obra barata de excelente qualidade.
      É premente resgatarmos o que a esquerda destruiu. LIBERTAS QUAE SERA TAMEN

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.