Argentina faz acordo por repasse de US$ 4,3 bi do FMI

O montante servirá para ajudar a estabilizar a situação cambial local
-Publicidade-
O ministro da Economia da Argentina, Martín Guzmán
O ministro da Economia da Argentina, Martín Guzmán | Foto: Reprodução/Redes Sociais

Na terça-feira 20, o governo argentino assinou um acordo pelo Direito Especial de Saque (SDR, na sigla em inglês) do Fundo Monetário Internacional (FMI). O repasse ao país será da ordem de US$ 4,3 bilhões e ficará disponível a partir de agosto. O montante servirá para ajudar a estabilizar a situação cambial local.

“A Argentina receberá o equivalente a US$ 4,35 bilhões [do FMI], o que nos permitirá fortalecer nossa posição cambial”, comentou o ministro da Economia argentino, Martín Guzmán, através do Twitter.

Criados em 1969 pelo FMI para complementar as reservas dos países-membros, os SDRs formam um ativo multilateral composto por um conjunto de moedas que abrangem o dólar, o euro, o yuan, o iene e a libra. Em valores somados, o programa tem globalmente US$ 650 bilhões.

-Publicidade-

Leia também: “Inflação na Argentina chega a 50,2% em 12 meses”

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site