Bolsonaro sanciona corte de R$ 690 milhões no orçamento da Ciência

Projeto foi aprovado pelo Congresso e transfere a verba da pasta para outros sete ministérios
-Publicidade-
Na versão final do texto, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações é contemplado com quase R$ 90 milhões
Na versão final do texto, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações é contemplado com quase R$ 90 milhões | Foto: Antonio Molina/Estadão Conteúdo

O presidente Jair Bolsonaro sancionou na sexta-feira 15, a lei aprovada pelo Congresso Nacional que remanejou do orçamento R$ 690 milhões em crédito suplementar do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI). Inicialmente previsto para o financiamento de pesquisas e projetos científicos, a verba, agora, abre crédito suplementar para sete ministérios. A mudança foi feita a pedido do Ministério da Economia.

O ministro Marcos Pontes chegou a chamar o remanejamento de “falta de consideração” e cobrar correção “urgentemente”. Depois, ouviu do Planalto uma promessa de que a verba será reposta.

Na versão final do texto, o MCTI é contemplado com R$ 89,8 milhões. A maior parte será destinada à política nuclear, incluindo a produção e ao fornecimento de radiofármacos — insumos usados no tratamento de câncer.

-Publicidade-

Leia também: “Uber lança opção de pagar para ‘furar fila’”

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

7 comentários Ver comentários

  1. Que notícia péssima, pela primeira vez temos um Ministro que entende da área e está fazendo um trabalho fantástico, a hora é de investir, esse negócio de criar “bolsa miséria” é um convite ao populismo, devemos focar em investimentos e geração de empregos!!!

  2. As pessoas ainda NÂO entenderam que o Bolsonaro tem o seguinte raciocinio….
    “”Vcs votaram em deputados e senadores errados…aguente!!
    Eu respeito a divisâo de poderes na medida do possível…só veto quando vejo que É SACANAGEM, armadilha.””
    Votem CERTO em deputados e senadores em 2022.

    1. Bolsonaro está certo. O remédio é amargo, mas necessário.
      Afinal, chegou a conta dos bilhões entregues a governadores e prefeitos (isentos de prestar contas do NOSSO dinheiro), enquanto o presidente foi proibido de fazer qualquer coisa, exceto mandar grana para a esquerdalha.
      “A economia a gente vê depois”, não foi esse o mantra da esquerdalha? Seria negacionismo com o trabalho e renda de milhões de pessoas?

      Sobre o negacionismo atribuído ao presidente, vc está certo. Bolsonaro é tremendamente negacionista com propina, corrupção, superfaturamento e big techs.

  3. Não podemos esquecer de desvios de verbas para propaganda do TSE no exterior, dizendo maravilhas da urna eletrônica. Esse sujeito é sempre desse jeito faz um tremendo barulho para ficar bem com a galera dele e nos bastidores faz isso daí. Mas o bando de puxa-sacos seguidores continuam a exclamar: Esse é o nosso Presidente!… É isso aí, cambada.

    1. O Velloso é um dos que acham que o Presidente Bolsonaro é o culpado de tudo o que acontece.
      Eu sou um dos que não se cansam de declarar com muito orgulho: Esse é o MEU PRESIDENTE!
      E termino dizendo ao Velloso: ME RESPEITE, EU NÃO FAÇO PARTE DA SUA CAMBADA!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.