Brasil tem superávit de US$ 3,7 bilhões puxado por comércio exterior

Diminuição de gastos dos brasileiros no exterior e de remessas de juros, lucros e dividendos também devem levar país a ter menor déficit nas contas externas em 13 anos.
-Publicidade-
Déficit das contas externas no Brasil em 2020 deve ser o menor em 13 anos | Foto: Gerd Altmann/Pixabay
Déficit das contas externas no Brasil em 2020 deve ser o menor em 13 anos | Foto: Gerd Altmann/Pixabay | contas externas, superávit, déficit, balança comercial, serviços, renda, banco central, investimentos estrangeiros

Diminuição de gastos dos brasileiros no exterior e de remessas de juros, lucros e dividendos também devem levar país a ter menor déficit nas contas externas em 13 anos

contas externas, superávit, déficit, balança comercial, serviços, renda, banco central, investimentos estrangeiros
Déficit das contas externas no Brasil em 2020 deve ser o menor em 13 anos
Foto: Gerd Altmann/Pixabay
-Publicidade-

Em agosto, o superávit do Brasil —  formado pela balança comercial (comércio entre o Brasil e outros países), pelos serviços (compra dos brasileiros lá fora) e pelas rendas (remessas de juros, lucros e dividendos do Brasil para o exterior) — ficou em R$ 3,7 bilhões.

Foi o quinto mês seguido de resultados positivos para as contas externas brasileiras. Desta vez, elas foram puxadas pela balança comercial, que viu as importações diminuírem bastante por causa da pandemia e as exportações serem retomadas a partir de maio.

Os gastos dos brasileiros no exterior, ou seja, a parte de serviços, também foi o menor em 16 anos, porque a maior parte das fronteiras estão fechadas devido à crise do coronavírus. Bem como o desaquecimento da economia mundial trouxe déficit em renda.

Assim, no total do ano até agora, as contas externas brasileiras estão deficitárias em US$ 8,5 bilhões, 75% a menos do que no mesmo período do ano passado.

O Banco Central (BC) espera que 2020 termine com um déficit de US$ 13,9 bilhões, o melhor resultado das contas externas em 13 anos.

Também é importante dizer que os investimentos estrangeiros diretos na economia brasileira já totalizam R$ 26,9 bilhões. O que significa que o déficit está coberto e não será necessário buscar recursos — como empréstimos no exterior — para fechar as contas do país.

A estimativa do BC é que, mesmo com a pandemia, o Brasil receba um total de US$ 55 bilhões em aportes estrangeiros neste ano.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site