-Publicidade-

CNC aponta que endividamento está em queda

Os números de inadimplência também melhoraram em razão da reabertura da economia
Foto: Divulgação/Flickr
Foto: Divulgação/Flickr | Foto: Divulgação/Flickr

Os números de inadimplência também melhoraram em razão da reabertura da economia

cnc
Além disso, o total de famílias com contas em atraso apresentou a primeira redução mensal desde maio
Foto: Divulgação/Flickr

Depois de três altas consecutivas, a quantidade de famílias endividadas diminuiu no mês passado, apontou levantamento da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). De agosto para setembro, caiu 0,3 ponto porcentual o indicador relativo ao número de brasileiros com dívidas em cheque pré-datado, cartão de crédito, cheque especial, carnê de loja, crédito consignado, empréstimo pessoal e prestação de carro e de casa. E a tendência é que o cenário fique ainda melhor. O índice, que havia alcançado o maior porcentual da série histórica em agosto (67,5%), chegou a 67,2% em setembro. Os dados constam na Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor.

Leia também: “Por onde virá a retomada”, reportagem publicada na edição n° 12 da Revista Oeste

Os números de inadimplência também melhoraram em razão da reabertura da economia e da desaceleração da covid-19. A diferença de endividamento para inadimplência é que o segundo grupo deixou de pagar prestações de uma dívida que fez. Conforme o levantamento da CNC, o total de famílias com contas em atraso também apresentou a primeira redução mensal desde maio, de 26,7% para 26,5% entre agosto e setembro. Há ainda um passo além entre os inadimplentes, que são aqueles que declaram não ter condições de quitar as dívidas atrasadas. Essa parcela se manteve quase estável no comparativo mês a mês, saindo de 12,1% para 12%. No mesmo período de 2019, esse indicador era de 9,6%.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês