Revista Oeste - Eleições 2022

Depois de 50 dias, China libera 1ª carga de carne brasileira

O lote estava no Porto de Xangai e saiu do Tocantins no dia 10 de setembro
-Publicidade-
A China suspendeu as importações no começo de setembro
A China suspendeu as importações no começo de setembro | Foto: Francisco Javier Catalina/Flickr

A China aceitou nesta terça-feira, 26, a primeira carga de carne bovina brasileira para entrar em território chinês. O produto foi certificado no dia 26 de agosto, embarcou para a Ásia no dia 10 de setembro e estava parado, desde então, no Porto de Xangai, quando houve a suspensão temporária das importações do produto brasileiro.

“O lote liberado é oriundo do Tocantins; há chance de que os de Mato Grosso sejam bloqueados. Os lotes serão analisados caso a caso”, informou à Revista Oeste a CEO da consultoria Agrifatto, Lygia Pimentel.

Conforme noticiou Oeste, ao todo, os frigoríficos brasileiros podem ter um prejuízo de US$ 600 milhões com a suspensão das importações. Até setembro, as empresas tinham embarcado para a China 122 mil toneladas de carne.

-Publicidade-

“Esse pode ser um sinal de que outros serão liberados. Entretanto, é necessário cautela, pois ainda há outros 21 pedidos na fila que ainda podem ser negados”, explicou Pimentel.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

4 comentários Ver comentários

  1. Demonstração de força? Instrumento de pressão política?

    Estamos negociando com uma ditadura, meus caros. Uma forma de governo que não dá satisfações a ninguém de suas decisões.

  2. A notícia é ótima.
    Aos poucos será retomada a normalidade.
    @ brasileira custa entorno de USD66,00, o chinês vai querer pagar USD 100,00 pela @ australiana???

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.