Dois terços dos bancos globais sob ataque de hackers

Grupos russos podem estar por trás dessa nova onda de malwares
-Publicidade-
Foto: Christoph Scholz/ Flickr
Foto: Christoph Scholz/ Flickr

De 130 instituições financeiras globais, 63% viram um aumento de ataques destrutivos de hackers no ano passado, segundo a empresa VMware.

Esse número indica um aumento de 17% com relação a 2020. Os ataques parecem ser cada vez mais direcionados à destruição de dados, segundo o chefe de estratégia da VMware, Tom Kellerman. “Ataques destrutivos são lançados punitivamente para destruir, interromper ou degradar os sistemas das vítimas, realizando ações como criptografar arquivos, excluir dados, destruir discos rígidos, encerrar conexões ou executar códigos maliciosos.”

Para Kellerman, a atual onda de ataques tem uma fonte: “Na verdade, recentemente testemunhamos malware destrutivo, como HermeticWiper, sendo lançado após a invasão da Ucrânia pela Rússia. Notavelmente, a maioria dos líderes financeiros com quem falei para este relatório afirmou que a Rússia representava a maior preocupação para sua instituição”.

-Publicidade-
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário Ver comentários

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.