‘É um marco histórico’, diz Paulo Guedes sobre capitalização da Eletrobras

Presidente Jair Bolsonaro também participou de solenidade pela sanção da MP que abre caminho para privatização
-Publicidade-
Ministro da Economia, Paulo Guedes, comemorou a capitalização da Eletrobras
Ministro da Economia, Paulo Guedes, comemorou a capitalização da Eletrobras | Foto: Marcos Corrêa/PR

Em cerimônia realizada no Palácio do Planalto em alusão à sanção, pelo presidente Jair Bolsonaro, da medida provisória (MP) que determina a capitalização da Eletrobras e abre caminho para a privatização da empresa, o ministro da Economia, Paulo Guedes, classificou o projeto como um marco para a economia brasileira.

É um marco histórico. Trata-se de um importante passo de modernização do setor elétrico brasileiro, que é tentado desde 1995. São 26 anos de tentativas”, disse Guedes. “Várias empresas estatais estão perdendo capacidade de investimento, em uma herança muito pesada deixada por governos anteriores.”

Leia mais: “Com vetos, Bolsonaro sanciona MP que abre caminho para privatização da Eletrobras”

-Publicidade-

O ministro da Economia aproveitou para traçar uma perspectiva otimista em relação ao crescimento do país em 2021. “Neste ano vamos crescer uns 5%. A economia brasileira caiu muito menos do que o esperado, voltou muito mais rápido que o esperado”, afirmou. “Todos os setores da economia e todas as regiões estão criando emprego.”

Leia mais: “Bolsonaro: ‘O que querem é a volta da impunidade e da corrupção’”

O presidente Jair Bolsonaro, que também participou da solenidade, citou o lucro registrado pelas empresas estatais nos primeiros anos de seu governo, em comparação com o prejuízo das administrações do PT.

Leia também: “Câmara aprova MP que abre caminho para privatização da Eletrobras”

“Em 2015, as estatais deram prejuízo de R$ 34 bilhões. Em 2019, deram lucro de R$ 109 bilhões. Uma diferença de R$ 143 bilhões. Aquelas eram as estatais administradas pela esquerda. Por isso, a reação quando se quer privatizar uma empresa no Brasil”, afirmou. “A nossa capacidade de investimento vem diminuindo. E o nosso sistema não pode colapsar. O Brasil vai se tornar cada vez mais um país menos inchado.”

Minas e Energia

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, afirmou que o projeto aprovado atendeu às necessidades dos principais setores envolvidos. “Conseguimos construir uma solução de consenso que refletiu um balanceamento dos principais interesses envolvidos: dos consumidores, do setor elétrico, da empresa e da sociedade. Nasce agora uma nova Eletrobras”, disse. “A capitalização da Eletrobras faz parte de um processo de modernização pelo qual passa o setor energético nacional. Hoje retiramos as amarras da Eletrobras.”

Leia também: “BNDES avança para efetivar a capitalização da Eletrobras”

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site