EUA: PIB cai no 2º trimestre e país tem recessão técnica

Projeção ficou abaixo do resultado esperado pelos economistas
-Publicidade-
O PIB foi pressionado pela alta da inflação no país, pela elevação das taxas de juros e pela contínua pressão sobre as cadeias de suprimento
O PIB foi pressionado pela alta da inflação no país, pela elevação das taxas de juros e pela contínua pressão sobre as cadeias de suprimento | Foto: Reprodução/Flickr

A economia dos Estados Unidos caiu a uma taxa anualizada de 0,9% no segundo trimestre. Os dados do Produto Interno Bruto (PIB) foram divulgados nesta quinta-feira, 28, pelo Departamento de Comércio dos EUA.

Com isso, o país entra na chamada recessão técnica — quando há dois trimestres consecutivos negativos. De janeiro a março, o PIB contraiu 1,6%.

A economia norte-americano foi pressionada pela alta da inflação no país (que alcançou o maior patamar em 40 anos), pela elevação das taxas de juros e pela contínua pressão sobre as cadeias de suprimento.

-Publicidade-

Segundo os números, o consumo das famílias, motor do PIB americano, desacelerou e subiu 1%, levemente abaixo das expectativas de mercado (1,2%). Além disso, houve queda nos gastos de governo e no investimento no setor imobiliário, um importante segmento economia.

“A queda no PIB real reflete recuos nos investimentos privados em estoque, em investimentos fixos residenciais, em gastos do governo federal, gastos dos governos estaduais e locais e investimentos fixos não residenciais”, apontou o Escritório de Análise Econômica (BEA, na sigla em inglês).

Recessão técnica

Seguindo os parâmetros internacionais, a economia norte-americana está em recessão técnica. No entanto, os EUA não usam essa definição e, em vez disso, dependem de uma análise de um grupo de pesquisadores, que tem como base uma pesquisa mais ampla para definir um cenário de recessão.

A avaliação oficial é feita pelo Escritório Nacional de Pesquisas Econômicas — que não deve dar o veredito pelos próximos meses. Ainda assim, essa queda consecutiva em dois trimestres é vista como um forte indicativo de recessão pelo mercado.

O ‘otimismo’ de Biden

O presidente Joe Biden afirmou segunda-feira 25 que a economia dos Estados Unidos não sofrerá um revés neste ano. “Penso que não teremos uma recessão”, disse aos jornalistas. Até então, ele acreditava que os números do emprego contribuiriam para uma reversão da contração do PIB registrado no primeiro trimestre do ano.

A secretária do Tesouro, Janet Yellen, também expressou otimismo de que o país vai conseguir evitar uma recessão nos próximos meses.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

11 comentários Ver comentários

  1. Os Norte Americanos, assim como os Argentinos e tantos outros que tombaram para a esquerda infelizmente já estão pagando o preço de deixar os lacaios escolhidos pela Nova Ordem Mundial ou tb chamada de Agenda Globalista assumirem o poder, este é o futuro desolador de qualquer nação que se submete a tomada de poder por líderes vermelhos norteados pelas utopias comunistas… Que o Brasil se salve de ser entregue ao lacaio ladrão escolhido pela NOM para destruí-lo de dentro pra fora e entregar seus restos ao Sistema Globalista Totalitarista vermelho!

  2. Excelente notícia! Na era moderna, a duração desse Império foi só de 1 século, perdeu em termos de duração para o Império Britânico e ganhou do Império Soviético. Porém nenhum deles durou tanto quanto o Império Romano que durou 5 séculos e se formos contar com o Império Bizantino (que era o Império Romano do Oriente) esse tempo passa dos mil anos. Agora iremos assistir a emergência do Império do Meio? Ou irá se desmoronar antes de iniciar?

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.