Gerar emprego no Brasil custa duas vezes mais do que em países da OCDE

Grandes geradores de emprego tributam três vezes menos do que o Brasil
-Publicidade-
O governador Geraldo Alckmin durante a entrega das obras de ampliação e modernização do PAT (Posto de Atendimento ao Trabalhador) da Estação Brás do Metrô e CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos). Data: 13/01/2015. Local: São Paulo/SP. 
Foto: Edson Lopes Jr/A2AD
O governador Geraldo Alckmin durante a entrega das obras de ampliação e modernização do PAT (Posto de Atendimento ao Trabalhador) da Estação Brás do Metrô e CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos). Data: 13/01/2015. Local: São Paulo/SP. Foto: Edson Lopes Jr/A2AD | Desemprego

Grandes geradores de emprego tributam três vezes menos do que o Brasil

Carteira de trabalho
Fila do seguro-desemprego | Foto: Edson Lopes Jr/A2AD
-Publicidade-

Os encargos trabalhistas recolhidos pelas empresas no Brasil chegam a 28,8% da folha de pagamento. Entre os membros da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), a porcentagem não chega a 15%. O estudo foi feito pela Confederação Nacional das Indústrias e divulgado pelo portal Valor Econômico nesta sexta-feira, 25.

Leia também: Ministério Público do Trabalho se alinha ao Magazine Luiza em processo seletivo para negros

Entretanto, existem diferenças significativas entre a tributação trabalhista nos países do bloco. A França está bem próxima ao Brasil, com 26,6%. Suécia, Espanha e Áustria aparecem com taxas menores, mas ainda superiores a 20%. Os grandes geradores de emprego, como Estados Unidos, Coreia do Sul, Canadá e Reino Unido, têm esses tributos abaixo de 10%.

Com informações Valor

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

3 comentários

  1. O Brasil é o país do inverso.
    Pessoas leigas, que nada produzem, sem qualquer especialidade voltada à realizações essenciais à vida, se acham e têm mais voz que os demais.
    Podemos ver que Chico, Caetano, Anita, Xuxa, Fernanda Torres, Veríssimo, Gabeira, Frexo, Barroso, Jandira, Celso de Mello, Bonner, …, sabem mais e com absoluta propriedade do que os técnicos que passaram anos e anos estudando engenharias ambientais, medicina, economia, …
    Faladores crassos têm vez por lobbys e até mesmo pela imensa carga de ignorantes existentes no País.
    Dá nisso, um país riquíssimo em natureza, mas refém de ignorantes e corruptos que se valorizam via o blá, blá, blá!

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site