Governo acena com proposta de R$ 40 bilhões para mudar o Plano Mansueto

Liberação dos recursos seria uma saída para barrar a votação do projeto. Em troca, governo quer que governadores e prefeitos se comprometam a suspender por dois anos reajustes salariais de servidores públicos
-Publicidade-
| Foto: Divulgação/Agência Brasil
| Foto: Divulgação/Agência Brasil
| Foto: Divulgação/Agência Brasil

O governo federal está disposto a abrir os cofres para votar o Projeto de Lei Complementar (PLP) 149/19, o chamado Plano Mansueto. A proposta é transferir até R$ 40 bilhões de recursos diretos para estados e municípios. Em troca, a Câmara muda o atual substitutivo do texto ou se apresenta uma nova redação.

Além da exigência legislativa, o governo quer dos governadores e prefeitos o comprometimento de suspender por dois anos os reajustes salariais de seus servidores públicos. É uma contrapartida que o ministro da Economia, Paulo Guedes, não planeja abrir mão.

-Publicidade-

A proposta inicial é de R$ 32 bilhões, revela o jornal O Estado de São Paulo. Os valores, no entanto, podem chegar aos R$ 40 bilhões. É um preço até “barato” a se pagar em comparação à proposta atual, que pode gerar um impacto de R$ 222 bilhões, segundo calcula o secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.