Governo lançará programa de crédito de R$ 100 bi para pequenas e médias empresas

Tema foi tratado em almoço organizado pela União Nacional de Entidades do Comércio e Serviços com o ministro Paulo Guedes

A Oeste depende dos assinantes. Assine!

-Publicidade-
Paulo Guedes, ministro da Economia, esteve reunido com empresários dos setores de comércio e serviços
Paulo Guedes, ministro da Economia, esteve reunido com empresários dos setores de comércio e serviços | Foto: Washington Costa/ASCOM/ME

O governo federal deve lançar um novo programa de crédito voltado a pequenas e médias empresas no país, com potencial de liberação de até R$ 100 bilhões. A informação é do presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), Paulo Solmucci, que esteve reunido com o ministro da Economia, Paulo Guedes, informa a agência Reuters.

Na quarta-feira 16, o assunto foi discutido durante um almoço, organizado pela União Nacional de Entidades do Comércio e Serviços, que contou com a presença do chefe da equipe econômica.

O ministro Paulo Guedes disse que, na semana que vem, será lançado um grande programa de crédito, da ordem de R$ 100 bilhões, para empresas que vão de MEI (Microempreendedor Individual) a empresas de médio porte, com faturamento de até R$ 300 milhões por ano”, afirmou Solmucci.

-Publicidade-

Embora o Ministério da Economia não tenha divulgado maiores informações oficialmente, o lançamento do programa deve ocorrer em março. A pasta ainda busca aval da Casa Civil, além de apoio de parlamentares no Congresso Nacional. O projeto deve ser criado a partir de uma medida provisória (MP) assinada pelo presidente Jair Bolsonaro.

A ideia do governo é ampliar a disponibilidade de fundos garantidores de crédito, nos moldes do Fundo de Garantia de Operações (FGO) e do Fundo Garantidor para Investimentos (FGI). O programa reuniria ainda outros fundos que serviriam de garantia para as operações.

Segundo os empresários, a obtenção de garantia para liberação de empréstimo e redução de custos é um dos maiores problemas enfrentados pelas pequenas e médias empresas.

O custo orçamentário do projeto ainda não está definido. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) seria responsável por administrar os fundos, como acontece atualmente com o FGI. A Caixa Econômica Federal, por sua vez, deve ficar com a operação da parte do programa voltada aos microempresários.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

5 comentários Ver comentários

  1. Único Governo que realmente pensou no povo brasileiro. Se não fosse o PRONAMPE e o financiamento da folha de pagamento já teria falido. Emprestar ao setor que gera 75% dos empregos é golaço de placa!! PARABÉNS BOLSOGUEDES !!

  2. Pois tenho empresa pequena que fatura menos de 5 milhões por ano e consegui ter acesso a um recurso no Pronamp. Ajudou-me muito, pois ela foi destruída por um incêndio no ano passado e me ajudou a pagar fornecedores e salários de minha equipe.

  3. Esse dinheiro fica sempre com os grandes que normalmente não precisam. Raramente chega a quem realmente é necessitado e quando chega é venda casada, seguro e outros penduricalhos

  4. Sou contador e conheço dezenas de contadores e todos relataram a mesma situação, nenhum de nossos clientes MEs e EPPs conseguiram receber auxilio disponibilizado pelo governo. Porque o governo não faz da mesma forma que fez com auxilio emergencial onde fez dinheiro chegar direto ao cidadão. Ou governo faz dinheiro ir direto as empresas ou esse dinheiro NÃO chegará as empresas. Se passar pelos Bancos, esse dinheiro NÃO vai chegar as empresas. Vai ser mais um dinheiro indo para mão dos Banqueiros.

  5. o que precisa é melhor a distribuição dos recursos
    e dar oportunidade aos micros empresarios que ja tenham um emprestimo e pegar o segundo

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.