Guedes: ‘Nós somos liberais, mas não somos trouxas’

O ministro rechaçou a hipótese do governo furar o teto de gastos para inchar a máquina pública
-Publicidade-
O ministro da Economia Paulo Guedes participou do evento Expert XP, promovido pelo banco de investimentos
O ministro da Economia Paulo Guedes participou do evento Expert XP, promovido pelo banco de investimentos | Foto: Divulgação

O ministro da economia Paulo Guedes rechaçou a hipótese do governo federal furar o teto de gastos deliberadamente para inchar a máquina pública. Durante um evento realizado na quarta-feira 3, pelo banco de investimentos XP, em São Paulo, o ministro afirmou que os eventos extraordinários (como a pandemia e a guerra da Ucrânia) forçaram o governo a socorrer a população.

Ele explicou que foi necessário substituir o antigo programa Bolsa Família (que pagava R$ 180) pelo Auxílio Brasil (R$ 400). 

“Quando a covid chegou, ela mostrou o profundo grau de desigualdade que já tinha sido atacado por governos anteriores de uma forma um pouco tímida, porque, se nós, durante a pandemia, fizemos a maior redução em 40 anos da pobreza no Brasil, isso quer dizer que o esforço anterior era um pouco tímido”, observou. “Então, é natural que nós tenhamos feito o reajuste”, disse. 

-Publicidade-

“Não tem nada de governo populista, é o governo fazendo o que tinha que fazer”, declarou.

Guedes lembrou que no ano passado, o governo foi pressionado para subsidiar o preço dos combustíveis, no entanto, ele foi contra a ideia. “Nós não demos, o que fizemos foi baixar os impostos, nada de subsídio”, disse.

O ministro destacou que o aumento na parcela do Auxílio Brasil para R$ 600 está “absolutamente dentro da responsabilidade fiscal” e é uma camada de proteção para os mais frágeis, em virtude da guerra da Ucrânia.

“Você fala assim: vocês violaram o teto? A resposta é sim, nós violamos o teto”, disse Guedes. “O teto é para impedir o crescimento do governo, porque nós somos liberais, nós queremos reduzir o peso do governo”, explicou.

“Aí chega uma doença (pandemia), eu tenho que transferir dinheiro para as pessoas, eu estou fazendo o governo crescer? Não, eu estou dando auxílio para os mais frágeis, enquanto a doença ou a guerra está aí”, afirmou o ministro.

O chefe da pasta ainda explicou que os recursos que vão sair do caixa do governo federal para bancar o auxílio estão dentro das receitas extraordinárias não orçadas. Como exemplo, ele citou a administração das empresas estatais que em governos anteriores acumulavam prejuízos. As companhias controladas pela União saíram de um déficit de R$ 40 bilhões ao ano para um lucro de R$ 188 bilhões, registrado em 2021.

“Então, se você tem esses recursos, vamos pegar a parte dos dividendos que são nossos, e vamos transferir para os mais pobres. O superávit do governo está mantido, está tudo dentro da responsabilidade fiscal”, destacou o ministro.

“Nós somos uma geração que pagou pelas guerras, nós não empurramos os custos para nossos filhos e netos. Nós sofremos, alguns ficaram sem reajuste de salários, alguns perderam emprego, mas o Brasil está em pé de novo, crescendo e a guerra foi paga”, afirmou Guedes à plateia.

“Eles acham que se furamos o teto uma vez, vamos furar duas, três, quatro vezes. Não. Se tiver uma doença ou uma guerra, nós estaremos lá com a mão segura do Estado, a mão amiga dos liberais para quando houver necessidade, mas não a mão para acariciar o vagabundo, ladrão, corrupto”, declarou o ministro.

O ministro ainda afirmou que o país não vai deixar o empresário brasileiro ser “abatido” com encargos trabalhistas e impostos elevados. “Nós somos liberais, mas não somos trouxas”, destacou ao se referir às medidas adotadas pelo governo que contribuíram para manter o equilíbrio fiscal.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

27 comentários Ver comentários

  1. R. Dias,
    Paulo Guedes ficará na história do Brasil por tudo o que tem feito pelo Brasil, ele será o maior ou um dos maiores ministros economistas do mundo. Foi uma excelente escolha de Bolsonaro. Parabéns a ambos.

  2. Crescimento econômico do Brasil em 2022 pode ser o menor de toda a América Latina.
    Economia global crescerá 5 vezes mais que Brasil em 2022, diz OCDE.
    Número de famílias em extrema pobreza salta 1,8 milhão em 2022.
    Bolsonaro será o 1º presidente desde o Real a deixar salário mínimo menor.
    Fundo Monetário Internacional projeta que a economia brasileira terá um dos menores crescimentos do mundo até 2023.

  3. Nao compreendo cómo pode Ter babacas que querem atacar a maravilhosa gestao do governo todo e do Guedes en particular.
    É SO OLHAR O QUE ACONTECEU NA ARGENTINA!!!!!

  4. Fez um ótimo trabalho para ressuscitar o Brasil de anos de destruição do PT.
    Ressuscitou o Brasil, enfrentou a pandemia e guerra, reduziu impostos, criou o PIX, distribuído bilhões ao povo, Estados e municípios para combate a pandemia e compra de vacinas, suspendeu recebimentos de das dividas dos estados e ainda promoveu crescimento.
    Parabéns! Tem meu apoio e será nosso ministro por muitos anos.

  5. Esse ministro liberal fake nao se acha trouxa, mas pensa que o restante dos brasileiros sao. Chega de conversa fiada, de pandemia, de guerra, bla…bla….bla…. Pior ministro da economia que o Brasil ja teve. A classe média foi exterminada. Sinta-se o unico responsavel pela provavel derrota do Bolsonaro. Bem feito, quem mandou acreditar no posto ipiranga de araque.

    1. Vc é funcionário público federal?
      Se for, compreendo teu ódio, se não, pq é petista aí não vale a pena discutir com ignorante

  6. O Brasil da dupla Bolsonaro x Paulo Guedes é hoje uma ilha de vida real, cercado de ilusões socialistas por todos os lados.

    A partir de 2023, o nosso exemplo de ressurgência econômica irá levar a América do Sul a se tornar mais liberal e democrática.

  7. De cima de meus 80 anos de idade posso garantir que nunca tivemos um ministro da economia ( chamava-se Fazenda em outros tempos) com a visão e competência de Paulo Guedes. O Brasil hoje é uma ilha de prosperidade no meio dos ” sociais democratas” fabianos que infestam o pensamento econômico em grande parte do mundo contemporâneo. Corremos o sério risco de perder essa posição de destaque com a volta do nove dedos e agregados e por consequência , retornarmos ao “viralatismo atavico “que sempre imperou em terras latino-americanas

  8. O Brasil dando exemplo de administração publica, show de economia com nosso Paulo Guedes.
    E ainda escutamos alguns “Ungidos” querendo fazer parecer que é tudo mentira o que a realidade está mostrando…
    Esses são os chamados “especialistas” que influenciaram o pensamento dos nossos jovens…….Não teem a menor ideia do que estão falando, mas falam como se fossem “especialistas”….

  9. Um economista dono do saber e conhecedor de suas e responsabilidades. Se o Brasil está navegando e observando as marés, está navegando de acordo com um curso responsável

  10. E ontem na JP, tive que ouvir um repórter idiota dizer que o Paulo Guedes “tentava” convencer a plateia.
    Ainda bem que o Skaf, de forma enfática, disse que ele não tentava, que ele é o melhor Ministro da Economia de todos os tempos e que os aplausos da plateia indicavam o acordo de todos com a, efetiva realidade da palestra.
    Falou por mim!

  11. De longe o melhor Ministro da Econômia que o Brasil já teve. Parabéns ao Bolsonaro pela escolha desse gênio que é o Paulo Guedes. Não errou nenhuma até agora. Sabe muito bem o que está fazendo. Olha o Pais crescendo na contramão do mundo em recessão.

  12. Este governo combate a corrupção e administra o país com competência. O bolo cresceu. Diminui impostos, divide o bolo com os mais desprotegidos e cria melhores condições para quem deseja produzir e trabalhar. É esse o caminho. Somos gratos.

  13. Estamos em boas mãos.. Paulo Guedes é sinônimo de competência e patriotismo.
    Enquanto estiver no leme podemos ficar tranquilos.
    Que venham mais quatro anos com Congresso e Senado renovados para que o governo possa completar a reformas tributaria e se Deus quiser a reforma do judiciário. Precisamos acabar com o conceito de cidadãos de primeira linha, chega de estabilidade no funcionalismo.

  14. …de todo o conteúdo, só não sou consoante com o posicionamento do Dr. Paulo Guedes em relação ao Imposto de Renda. Dez anos sem efetiva revisão na tabela é algo absurdo e insano, pois, pune e esfola com o média renda. Sendo que boa parcela do montante abocanhado pelo leão, serve tão somente para cacifar altíssimos salários e benefícios de uma casta da sociedade, desde governadores, prefeitos, vereadores, senadores, deputados, partidos políticos, STF/TSE, Tribunais de Contas, até os parasitas do serviço público que ocupam cargo em comissão (sem concurso)…

    1. Júlio Cesar, por canalhice dos Senhores Alcolumbre e Pacheco, a revisão na tabela do IRPF, tributação de 5% do ganho de capital na correção do valor dos imóveis e outros benefícios tributários, enviadas ao congresso, pelo excelente Ministro Paulo Guedes, foi votada e aprovada pela Câmara dos Deputados no ano de 2019, está, desde então no Senado Federal esperando o Sr Pacheco colocar em votação.

      1. Grato pelo teu comentário análise. De fato, tu tens razão: Alcolumbre e Pacheco são dois políticos medíocres. Jamais deveriam ocupar as presidências das duas casas legislativas, Câmara e Senado. Os dois devem à Justiça…

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.