-Publicidade-

Guedes se impõe e consegue adiar plano Pró-Brasil

Guedes se impõe e consegue adiar plano Pró-Brasil
Ministro da Economia segue com aval do presidente Bolsonaro | Foto: Gabriela Biló/Estadão Conteúdo
Ministro da Economia segue com aval do presidente Bolsonaro | Foto: Gabriela Biló/Estadão Conteúdo | plano

Com aval do presidente Jair Bolsonaro, o ministro da economia se articulou para manter teto de gastos e adiar o plano Pró-Brasil

plano
Ministro da Economia segue com aval do presidente Bolsonaro | Foto: Gabriela Biló/Estadão Conteúdo

Alinhado com o presidente Jair Bolsonaro, o ministro da Economia, Paulo Guedes, conseguiu mais uma vez impor suas políticas econômicas dentro do governo. Desta vez, o chefe da pasta conseguiu convencer o Executivo a manter o teto de gastos.

Aliás disso, conforme Oeste apurou, o ministro da Economia conseguiu desidratar o plano Pró-Brasil, programa de impulsionamento de obras em infraestrutura. Contudo, prometeu liberar R$ 5 bilhões para investimentos ainda neste ano.

O montante deve ser destinado para as pastas dos ministros Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional) e Tarcísio de Freitas (Infraestrutura). Ambos estavam pressionando por mais recursos.

Além disso, de acordo com senador Eduardo Gomes (MDB-TO), líder do governo no Congresso, o Pró-Brasil vai precisar esperar “um novo momento da economia”.

“As obras não vão parar, mas acho que lançamento de programa, uma coisa mais robusta pode ser que espere um novo momento da economia. Por enquanto está garantida a permanência e continuidade das obras e manutenção do teto”, declarou.

Ainda de acordo com Gomes, Bolsonaro continua com a intenção de viajar pelos estados brasileiros participando da inauguração de obras e que o planejamento atual de melhoria em infraestrutura vai continuar.

 

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês