Hidrovias do Brasil e VLI firmam parceria para avaliação técnica da Ferrogrão

Ferrovia pode se tornar a rota mais importante de escoamento do agronegócio brasileiro
-Publicidade-
Grande aposta do governo brasileiro, a Ferrogrão foi questionada judicialmente
Grande aposta do governo brasileiro, a Ferrogrão foi questionada judicialmente | Foto: Reprodução/Redes Sociais

A Hidrovias do Brasil anunciou, na quinta-feira 27, uma parceria com a empresa de logística VLI para fazer uma avaliação técnica conjunta do projeto da Ferrogrão — ferrovia destinada a se tornar a rota mais importante de escoamento do agronegócio brasileiro, como Oeste mostrou em reportagem especial publicada no dia 10 de abril.

“Essa parceria permite que a VLI e Hidrovias unam suas respectivas expertises para o estudo de uma solução logística multimodal para a Ferrogrão, bem como busca de parceiro investidor para atuação conjunta no prosseguimento do projeto”, afirmou a empresa em nota.

-Publicidade-

A VLI é controladora da Ferrovia Centro-Atlântica e tem entre seus acionistas a mineradora Vale.

Reportagem especial: “O caso Ferrogrão: como uma decisão do STF pode tirar o país dos trilhos”

Com previsão de alcançar 933 quilômetros em extensão, a ferrovia conectará a região produtora de grãos do Centro-Oeste, em Mato Grosso, ao Estado do Pará, desembocando no Porto de Miritituba. A Ferrogrão ligará os municípios de Sinop (MT) e Itaituba (PA), às margens do Rio Tapajós. Uma decisão do ministro Alexandre de Moraes, do STF, atendeu à reivindicação do Psol e suspendeu a eficácia da Lei 13.452/2017, que teve origem em um projeto de conversão da Medida Provisória (MP) 758/2016.

J. R. Guzzo: “Uma agressão contra o Brasil e os brasileiros”

Essa MP alterou os limites do Parque Nacional do Jamanxim, no Pará, excluindo 862 hectares da unidade de conservação ambiental. Na ação, o partido alega que somente uma lei em sentido formal — e não uma MP — poderia autorizar a alteração ou a supressão de áreas de unidades de conservação.

Leia mais: “Tarcísio articula-se para destravar obras da Ferrogrão”

Segundo o governo, a Ferrogrão também servirá como uma “esteira de grãos”, substituindo o modal rodoviário — meio de transporte mais poluente e ineficiente — e criando uma multimodalidade formada por ferrovia, hidrovia e portos. Em 30 anos, a expectativa é que a Ferrogrão movimente 48,6 milhões de toneladas e crie 160 mil empregos, reduzindo em quase R$ 20 bilhões o custo logístico da produção. O investimento estimado para o projeto é de R$ 12 bilhões.

Leia também: “Tarcísio: meio ambiente é ‘cortina de fumaça’ para barrar Ferrogrão”

Com informações da Reuters

Telegram
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

2 comments

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site