Mais da metade da capacidade industrial ficou ociosa em abril, aponta CNI

Segunda a CNI, esse é o nível de ociosidade mais alto já registrado na indústria desde que a pesquisa começou a ser realizada, em janeiro de 2011.
-Publicidade-
Produção de veículos. Foto: Divulgação/Hyundai
Produção de veículos. Foto: Divulgação/Hyundai | vendas - veículos - novos - maio

De acordo com a Confederação Nacional da Indústria apenas 49% da capacidade das indústrias do Brasil foram utilizadas no último mês

Imagem mostra uma fábrica produzindo carros leves
Produção de veículos | Foto: Divulgação/Hyundai

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou nesta quarta-feira, 20, que o nível de utilização da capacidade industrial do país teve uma queda de novo pontos no último mês,abril, para 49%.

-Publicidade-

Isso significa que mais da metade da capacidade instalada nas indústrias do país ficaram paradas no último mês. O setor industrial foi muito afetado pelos efeitos da pandemia do coronavírus e das medidas tomadas pelas autoridades para tentar frear o avanço da doença.

Segunda a CNI, esse é o nível de ociosidade mais alto já registrado na indústria desde que a pesquisa começou a ser realizada, em janeiro de 2011, informa o G1.

“A maior disseminação da crise entre as empresas no mês de abril era esperada pois no início do mês de março, grande parte da indústria ainda não tinha sentido a queda na demanda. Em abril, as empresas passaram o mês todo sob os efeitos das medidas de distanciamento social”, concluiu para o G1 o gerente executivo de Pesquisa e Competitividade da CNI, Renato da Fonseca.

Outros levantamentos, como os feitos pelo IBGE e pela Anfavea, já mostraram que a pandemia do coronavírus estava impactando com força a indústria brasileira.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.