Mais de 1 milhão de empregos já foram preservados com a MP 936, garante secretário

Segundo o Ministério da Economia, esse número deve aumentar nos próximos meses 
-Publicidade-
Secretário especial de Previdência e Trabalho, Bruno Bianco | Foto: DIVULGAÇÃO/FLICKR
Secretário especial de Previdência e Trabalho, Bruno Bianco | Foto: DIVULGAÇÃO/FLICKR

Segundo o Ministério da Economia, esse número deve aumentar nos próximos meses

Secretário especial de Previdência e Trabalho, Bruno Bianco | Foto: DIVULGAÇÃO/FLICKR
-Publicidade-

Editada no início de abril deste ano, a polêmica Medida Provisória n° 936, que trata dos acordos individuais e coletivos celebrados entre os patrões e os empregados para a redução da jornada de trabalho, já contemplou mais de 1 milhão de pessoas.

“Já temos mais de um milhão de empregos preservados, entre acordos individuais e coletivos que já foram firmados”, garantiu o secretário especial de Previdência e Trabalho, Bruno Bianco, numa entrevista coletiva no Palácio do Planalto.

Na prática, isso significa que os empregadores estão sendo desestimulados a demitir seus funcionários, pois, agora, pagarão menos encargos trabalhistas. Não só, os rendimentos mensais dos trabalhadores serão reduzidos por causa da equivalência à nova carga horária.

Contudo, o Estado vai custear parte dessa perda que afeta diretamente o bolso de cada um. Por isso, o Ministério da Economia já liberou R$ 51 bilhões para complementar o salário dos que tiveram a jornada reduzida ou o contrato suspenso por tempo determinado.

Segundo o ministro da Economia, Paulo Guedes, a MP deve preservar até 8,5 milhões de empregos, beneficiando cerca de 24,5 milhões trabalhadores com carteira assinada.

Lewandowski dá poder aos sindicatos

O ministro do Supremo Tribunal Federal Ricardo Lewandowski concedeu uma liminar (decisão provisória) na semana passada, a pedido da Rede Sustentabilidade, que prevê que os sindicatos sejam comunicados em até 10 dias sobre a celebração de acordos individuais.

Em tese, a decisão de Lewandowski faz com que a suspensão de contrato e a redução de salário e de jornada só tenham efeito depois do aval de sindicatos. No entanto, se as entidades de classe não se pronunciarem dentro do prazo, a contestação futura perde efeito.

Saiba mais

A MP é uma reação aos efeitos provocados na economia pela pandemia de coronavírus. Sem mão de obra, sem produção e sem dinheiro, os empreendedores se viram na iminência de fechar as portas e demitir todos os funcionários. Portanto, o objetivo da MP 936 é tornar viáveis as atividades econômicas e reduzir os impactos sociais relacionados ao estado de calamidade pública e de emergência de saúde pública.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site