-Publicidade-

Negócio da saúde: NotreDame e Hapvida confirmam fusão

Companhias listam cinco tópicos analisados como "principais benefícios" da parceria
Foto: Reprodução/Facebook/Hapvida

Durou menos de dois meses as negociações entre a Hapvida e o Grupo NotreDame Intermédica (GNDI). No último fim de semana, as duas empresas confirmaram o processo de fusão. O negócio foi aprovado pelos conselhos de administração das duas companhias.

Leia mais: “Petrobras recebe R$ 360 mi em acordo de leniência da Samsung”

Com o desfecho, as ações do GNDI serão incorporados pela HapvidaCo, subsidiária da Hapvida. Dessa forma, os ativos do Grupo NotreDame Intermédica (GNDI3) deixarão de ser negociados na B3, a bolsa de valores do Brasil. Os papéis da HAPV3 seguirão nos pregões do mercado.

Ao confirmar a fusão, as duas companhias listam cinco tópicos analisados como “principais benefícios” do negócio:

  1. Integração da vasta gama de produtos, estruturas hospitalares, recursos e soluções de saúde a benefícios dos seus clientes;
  2. Redução dos custos operacionais por meio do compartilhamento das melhores práticas e otimização dos processos;
  3. Aproveitamento de potenciais sinergias decorrentes da complementariedade geográfica de atuação das duas companhias;
  4. Consolidação das bases acionárias da GNDI e da Hapvida, com aumento da liquidez dos papeis;
  5. Potencial de valorização da cotação das ações da companhia combinada na B3.

“A operação [após a fusão] poderá, ainda, resultar em ganhos de sinergia decorrentes da capacidade dos atuais administradores das duas companhias, responsáveis, juntamente com seus colaboradores, pela expansão e consolidação de um modelo de negócios sólido”, analisam executivos das empresas voltadas ao segmento de planos de saúde no Brasil.

Fusão bem-vinda entre investidores

Num primeiro momento, a notícia da fusão entre os dois grupos surtiu efeito positivo entre os investidores da B3. Por volta das 14h40 desta segunda-feira, 1º de março, as ações do GNDI apresentavam alta de 6,77% (no comparativo com o valor registrado ao fim do pregão da última sexta-feira). Percentualmente, a alta parcial dos papéis da Hapvida era ainda melhor: valorização de 7,94%.

Leia também: “A independência do BC e o dinheiro sólido”, artigo do colunista Rodrigo Constantino publicado na Edição 47 da Revista Oeste

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.