Paulo Guedes diz que FMI atrapalhou Brasil na pandemia

O ministro também declarou que muitos analistas têm feito previsões erradas sobre a economia brasileira
-Publicidade-
Ministro Paulo Guedes, em palestra em Salvador | Foto: Reprodução
Ministro Paulo Guedes, em palestra em Salvador | Foto: Reprodução

O ministro da Economia, Paulo Guedes, criticou o Fundo Monetário Internacional (FMI) por ter feito previsão de que o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro cairia 9,1% em 2020, devido à pandemia. Naquele ano, o PIB teve queda de 4,1%, cinco pontos porcentuais menor que a prevista pelo FMI.

Ao participar do evento Perspectivas para a Economia Brasileira, organizado pelo Fórum Empresarial da Bahia, em Salvador, na manhã desta segunda-feira, 26, o ministro citou a projeção errada do FMI.

“O FMI fez a projeção de que o PIB brasileiro cairia 9,1%. Discordei, chamei atenção de que somos organismos vivos e que os modelos perdem aderências quando temos grandes incertezas e mudanças. Mandei a missão do FMI embora. Dispensei educadamente”, disse. Segundo Guedes, a entidade “não ajudou em nada, só atrapalhou”, ao fazer a projeção.

-Publicidade-

O ministro também afirmou que economistas têm cometido erro semelhante ao fazer projeções negativas para o país. “Tem o erro mais sofisticado, que é quando há uma mudança profunda na estrutura da economia, e o economista mantém a mesma previsão. Esse erro muitos economistas vêm cometendo no Brasil”, criticou.

Na palestra, Guedes atribuiu críticas ao governo a “narrativas políticas” e pediu a empresários reunidos no evento em Salvador que acreditem no potencial de crescimento do país. Ele voltou a dizer que a economia brasileira está crescendo em “V” e sofreu menos com as consequências da crise provocada pela pandemia do que outras nações. “Não acreditem em narrativas políticas, confiem no Brasil, apostem no país. Somos uma geração que pagou pela guerra, e não empurramos a conta para gerações futuras”, disse.

O ministro também comentou sobre as transferências de renda, mencionando com responsabilidade social e econômica, por meio do auxílio emergencial e do Auxílio Brasil.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

4 comentários Ver comentários

  1. É uma tremenda sacanagem dessas instituições financeiras, que somente estão pretendendo desacreditar o excelente trabalho do governo! Tudo orquestrado, para continuar “saqueando” o país como vêm fazendo a décadas, ou melhor a séculos!

  2. Quando, na história desse país, um Ministro da Economia teve razão e moral para falar com essa contundência sobre o FMI? (E também sobre um certo país aquecido artificialmente…). Parabéns e obrigado, Ministro Paulo Guedes. O que este governo tem feito pelo Brasil parecia um sonho impossível. O que atrapalhava não era a política, eram a má políitica, a corrupção e a incompetência.

  3. Todas essas entidades(fundações,fundos,organizações e afins)estão a serviço do globalismo.Portanto,até a página 9,não devem ser levadas a sério.

  4. É erro intencional, é para colocar no poder o ladrão de nove dedos, é para mamar de novo nas tetas do governo. Não pensam no Brasil, só em seus bolsos, cambada de canalhas, deveriam ser presos.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.