Petrobras e Vale batem recorde ao pagar R$ 136 bilhões a acionistas

Valores serão distribuídos a mais de 1 milhão de acionistas — sendo 850 mil da Petrobras e quase 300 mil da Vale
-Publicidade-
B3, a Bolsa de Valores de São Paulo | Foto: Divulgação
B3, a Bolsa de Valores de São Paulo | Foto: Divulgação

Petrobras e Vale vão ser as duas maiores distribuidoras de lucros do mercado brasileiro, com pagamentos recordes de dividendos para seus acionistas em 2021. O montante deve ser de, pelo menos, R$ 136 bilhões.

Os valores serão distribuídos a mais de 1 milhão de acionistas — sendo 850 mil da Petrobras e quase 300 mil da Vale. O levantamento foi feito pela consultoria Economatica a pedido do jornal O Estado de S. Paulo.

-Publicidade-

No caso da estatal, o grande “premiado” é o próprio governo.

Entre valores já pagos pela empresa e previstos até dezembro, de R$ 63,4 bilhões, R$ 23,3 bilhões devem ir à União (incluindo a fatia do BNDES). Outros cerca de 850 mil acionistas, sendo 750 mil no Brasil, receberão R$ 40,1 bilhões.

A Vale, por sua vez, tem 291 mil acionistas pessoas físicas, 2,6 mil pessoas jurídicas e 2,2 mil institucionais, como fundos de pensão.

Os investidores que aplicam diretamente em ações recebem o dividendo via depósito na conta da corretora. Atualmente, as rendas relativas a dividendos não pagam Imposto de Renda (IR) no país.

Até setembro

O levantamento mostra que a Vale distribuiu R$ 73 bilhões até setembro, o maior valor entre as empresas listadas na B3, a bolsa brasileira.

A Petrobras, por sua vez, aparece em segundo lugar no ranking, com pagamento de R$ 31,6 bilhões em 2021 até setembro, valor que vai dobrar até dezembro.

Já em terceiro lugar aparece o Bradesco, com R$ 9 bilhões, seguido de Santander Brasil, Itaú Unibanco e Banco do Brasil.

Ciclo

Os números refletem uma fase de preços das commodities nas alturas, o que resultou em forte geração de caixa. No caso da Petrobras, o barril de petróleo tipo Brent está na casa dos US$ 80, maior nível em oito anos.

O fluxo de caixa elevado também é reflexo da política de preços dos combustíveis, que gerou críticas do presidente Jair Bolsonaro, que vê como “absurdos” os lucros distribuídos.

Já o minério de ferro chegou a US$ 230 a tonelada em maio, um recorde, antes de começar a ceder diante das incertezas sobre a China.

Com informações do Estadão Conteúdo

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

9 comentários Ver comentários

  1. Parabéns a todos nós acionistas que acreditamos na petrobras e por isso, os dividendos. O resto é conversa pta boi dormir, vão dormir gado!!! Kkkkkkkkk

  2. Nada absolutamente contra a distribuição de dividendos da Petrobras. Após ir para a bolsa de valores tornou-se uma empresa normal com ações no mercado. O problema é que quando dar lucro distribui com os seus acionistas até aí tudo bem. Quando dar prejuízo o governo e o brasileiro é quem paga aí não concordo.
    Vamos acabar com essa ladainha que é estratégica para o país e deveria ter cunho social. A energia é estratégica, as comunicações também, os portos e aeroportos, as estradas tudo é estratégico. Nossas estatais servem tão somente para cabide de empregos e corrupção. Perda do monopólio e privatização é uma ideia.

    1. Não é bem assim Lincoln, os acionistas da Petrobras que inclusive a capitalizaram em 2010 com mais de R$100 bi em espécie, e a União com reservas no pré-sal sem aportar nenhum valor (a tal cessão onerosa), amargaram enormes prejuízos durante a gestão do PT e só em 2021 tivemos importantes dividendos que também contemplaram a União com mais de R$30 bi. Entretanto concordo com suas conclusões, privatizar para não mais sermos roubados pelo corporativismo estatal de sindicatos e partidos do tal Ciro Gomes.

  3. Existe um percepção muito arraigada no ideário socialista de que o lucro é imoral.
    No caso da Petrobras, em especial, esta matéria serve de combustível para as narrativas segundo as quais o lucro da empresa vem do preço alto que cobra pelos combustíveis, asfixiando o país. Não importa se isto não faça sentido, ou se parte deste lucro é contábil, a narrativa será alimentada, e manchetes deste tipo vão eclodir em centenas de perfis de esquerda.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.