Petrobras recebe seis novas indicações para o conselho de administração

Ministérios de Minas e Energia e da Economia apresentaram nomes após conselheiros pedirem que não fossem reconduzidos ao cargo
-Publicidade-
Próxima reunião da Assembleia-Geral da estatal ainda não tem data definida
Próxima reunião da Assembleia-Geral da estatal ainda não tem data definida | Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Os ministérios de Minas e Energia e da Economia apresentaram à Petrobras seis indicações para a composição do conselho de administração da estatal. Os nomes serão avaliados em reunião da Assembleia-Geral Extraordinária, cuja data ainda não foi confirmada.

Na última semana, cinco integrantes do conselho pediram que não fossem reconduzidos ao cargo: João Cox Neto, Nivio Ziviani, Paulo Cesar de Souza e Silva, Omar Carneiro da Cunha Sobrinho e Leonardo Antonelli.

-Publicidade-

O Ministério de Minas e Energia indicou à Petrobras o general Joaquim Silva e Luna — escolhido pelo presidente Jair Bolsonaro para assumir a presidência da empresa em substituição a Roberto Castello Branco —, o engenheiro civil Márcio Andrade Weber e o geólogo Murilo Marroquim de Souza. Além disso, a pasta recomendou a recondução do almirante Eduardo Bacellar Leal Ferreira, que é o atual presidente do colegiado, e de Ruy Schneider.

O Ministério da Economia, por sua vez, indicou a administradora Sonia Julia Sulzbeck Villalobos. Ela já integrou o conselho de administração da Petrobras, entre 2018 e 2020.

Na próxima reunião da Assembleia-Geral, a União pode indicar outros dois nomes para o colegiado.

Leia também: “Sindicatos entram em greve por ‘risco de privatização’ da Petrobras”

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 comentário

  1. Pelo curriculum entendo que são profissionais qualificados para continuar saneando a Petrobras e ganhar valor no mercado. Como acionista gostei, não são palpiteiros de minas e energia.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.