PIB brasileiro deve sofrer queda recorde em 2020, projeta FMI

O PIB brasileiro deve recuar 9,1% em 2020, segundo projeção realizada pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) e que foi divulgada nesta manhã
-Publicidade-
Foto: Elliot Alderson/ Pixabay
Foto: Elliot Alderson/ Pixabay | PIB brasileiro FMI

De acordo com o FMI, o PIB brasileiro deve recuar 9,1% em 2020; economia foi duramente afetada pela pandemia do coronavírus

PIB brasileiro FMI
Foto: Elliot Alderson/ Pixabay
-Publicidade-

O PIB brasileiro deve recuar 9,1% em 2020, segundo projeção realizada pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) e que foi divulgada nesta manhã.

Conforme divulgado, a economia do Brasil está sendo muito afetada pelos efeitos da pandemia do coronavírus e das medidas tomadas para tentar controlar ela, informou o G1.

Veja também: “FMI: Isolamento levará a dura crise na América Latina”

Caso a previsão do FMI se confirme, essa deve ser a maior queda do Produto Interno Bruto do Brasil em mais de 120 anos. Em abril, o FMI estimou que a economia do país ia ter uma queda de 5,3%.

O FMI está mais pessimista que a grande parte dos analistas do Brasil. Conforme divulgou o Boletim Focus, do Banco Central, a perspectiva desta semana é de uma queda de 6,5% do PIB brasileiro em 2020.

Economia Mundial

Esses números foram publicados no World Economic Outlook e mostram uma deterioração na atividade econômica pior do que a prevista anteriormente pelo Fundo.

Para o FMI, conforme conta no relatório, o PIB do mundo deve sofrer uma queda de 4,9% neste ano, anteriormente era projetado uma queda de 3%. Todas as regiões do planeta devem enfrentar uma rejeição.

“Pela primeira vez, projeta-se que todas as regiões experimentem um desempenho negativo (do PIB) em 2020. No entanto, existem diferenças substanciais entre as economias, refletindo a evolução da pandemia e a eficácia das estratégias de contenção”, disse o FMI em relatório.

Mais: “FMI defende a manutenção de estímulos fiscais após a pandemia”

As economias consideradas desenvolvidas devem sofrer uma queda de 8%, conforme divulgado pelo levantamento do FMI. As economias emergentes devem contrair 3% no ano.

“A pandemia levou as economias para um grande lockdown, o que ajudou conter o vírus e salvar vidas, mas também desencadeou a pior recessão desde a Grande Depressão”, concluiu a economista-chefe do FMI, Gita Gopinath.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site