PIB do Brasil recua 0,1% no 2º trimestre, aponta IBGE

Resultado interrompe uma sequência de três trimestres consecutivos de crescimento da economia brasileira
-Publicidade-
Resultado do PIB no segundo trimestre freou reação da economia brasileira, mostra o IBGE
Resultado do PIB no segundo trimestre freou reação da economia brasileira, mostra o IBGE | Foto: Divulgação/Agência Brasil

Dados divulgados nesta quarta-feira, 1º, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que a economia do país recuou 0,1% no segundo trimestre deste ano, na comparação com os primeiros três meses de 2021.

Os números jogam um balde de água fria nas expectativas mais otimistas em relação à retomada da economia no pós-pandemia. No primeiro trimestre, o Produto Interno Bruto (PIB) do país registou crescimento de 1,2%, indicando o início de uma possível recuperação — foi o terceiro trimestre consecutivo de alta.

Leia mais: “Governo federal propõe salário mínimo de R$ 1.169 para 2022”

-Publicidade-

Ainda de acordo com o IBGE, o PIB brasileiro subiu 12,4% em relação ao mesmo período do ano passado (no auge da pandemia de covid-19). No primeiro semestre de 2021, a alta acumulada é de 6,4%. No acumulado dos últimos 12 meses, o avanço é de 1,8%.

Leia também: “Contas públicas têm rombo de R$ 10,3 bilhões em julho, aponta BC”

A economia brasileira, segundo o instituto, está agora 3,2% abaixo do ponto mais alto da série histórica, alcançado no primeiro trimestre de 2014. O PIB do país se mantém no patamar do fim de 2019 e início de 2020, no pré-pandemia.

Leia mais: “Contas do governo registram déficit de R$ 19,8 bilhões em julho”

A maior queda registrada no segundo trimestre foi da agropecuária (-2,8%), seguida pela indústria (-0,2%). Os investimentos recuaram 3,6%. O consumo das famílias não teve variação.

Leia também: “Confiança do empresariado sobe pelo quinto mês consecutivo”

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

4 comentários

  1. Considerando que o segundo trimestre de 2021 apresentou o período mais grave da pandemia no País, sendo pior até mesmo durante 2020, é um alento considerar que os números ficaram estáveis. A considerar em em ralação ao mesmo trimestre de 2020, o crescimento foi de 12,4 %, quando tudo esteve de fato lacrado por governadores e prefeitos. Infelizmente fatores do qual não temos controle, queda muito forte das chuvas refletindo no agro e também a praga chinesa que vei em uma segunda onda forte, somado a toda leva de entrave causado por STF, CPI da pandemia que criou uma lerdeza nas pautas que interessam de fato ao País. A economia mostrou resiliência

  2. O IBGE vai culpar Bolsonaro pela QUEDA do PIB, usando o pelo pedido de impeachment contra o Xandinho como motivo?? É a desculpa do “mercado” financeiro. Querem o Brasil de joelhos para as supremas vergonhas e o POVO HUMILHADO, OPRIMIDO E PRESO para não estressar a Corte.

  3. Tanto a considerar e os esquerdistas (alienados ao Lula ladrao), criticam a queda do pib brasileiro, criaturas nefastas querem mesmo que o mar pegue fogo pra comer peixe assado.

  4. esse pessoal do ibgé são uns pilantras! se o pib não cresceu tanto mas cresceu.. mas noticiam de forma que da a entender que está em recessão… e outra os esuerdosos apoiaram os prefeitos e governadores nos lockdowns e agora quer colocar a culpa no governo federal.. quebram as nossas pernas e depois nos ridicularizam por estarmos mancos… filhos de satanás!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro