Plano de recuperação judicial da Livraria Cultura é aprovado

A empresa tem dívidas de R$ 285 milhões
-Publicidade-
A empresa, agora, vai buscar novos financiamentos de modo a manter-se de pé
A empresa, agora, vai buscar novos financiamentos de modo a manter-se de pé | Foto: Divulgação/Livraria Cultura

A Livraria Cultura ganhou fôlego para pagar seus credores. Na quarta-feira 26, o Tribunal de Justiça de São Paulo homologou o plano de recuperação judicial da empresa. Trata-se da terceira proposta feita a funcionários e fornecedores. Hoje, a companhia soma dívidas de R$ 285 milhões. “O desenlace desse caso encerra um capítulo de indefinições importantes. A empresa não tinha condições de cumprir o plano anterior à pandemia”, argumentou no processo Fabiana Solano, advogada da Cultura.

Conforme a defesa, a empresa vai buscar novos financiamentos de modo a manter-se de pé. Das 13 livrarias que tinha em 2020, o site da Cultura informa que apenas sete estão em pleno funcionamento. A crise da rede acentuou-se com a chegada da epidemia de coronavírus ao Brasil. Em fevereiro deste ano, as unidades dos shoppings Bourbon e Villa-Lobos, em São Paulo, encerraram as atividades, além da única loja em Curitiba (PR), devido ao isolamento social decretado por prefeitos e governadores.

Leia também: “Confiança da indústria sobe em maio, aponta índice da FGV”

-Publicidade-
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.