-Publicidade-

Presidente do Conselho de Administração do Banco do Brasil renuncia

Hélio Magalhães deixou o cargo e fez críticas ao que classificou como interferência do presidente Jair Bolsonaro na instituição
Indicação de novo presidente gerou crise no Conselho de Administração do Banco do Brasil
Indicação de novo presidente gerou crise no Conselho de Administração do Banco do Brasil | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O presidente do Conselho de Administração do Banco do  Brasil (BB), Hélio Magalhães, renunciou ao cargo. A informação foi confirmada pela própria instituição na noite de quinta-feira 1º. Ele havia sido indicado ao posto pelo ministro da Economia, Paulo Guedes.

Leia mais: “Governo formaliza indicação de Fausto Ribeiro para presidir o Banco do Brasil”

Além de Magalhães, outro integrante do conselho, José Guimarães Monforte, entregou seu cargo. Ambos deixam de fazer parte do órgão a partir desta sexta-feira, 2, informou o banco.

Na carta de renúncia, Magalhães fez críticas ao que classificou como uma interferência do presidente Jair Bolsonaro na instituição ao indicar Fausto de Andrade Ribeiro, então diretor da BB Administradora de Consórcios, como novo presidente.

Leia também: “Ministério da Economia indica Fausto de Andrade para presidência do Banco do Brasil”

No texto, Magalhães cita “interferências externas na execução do plano de eficiência da companhia aprovado por este conselho e obviamente necessário para adequá-la aos novos tempos e desafios do setor”. “Ato contínuo, renovo meu protesto ao rito de escolha do novo presidente do banco, o qual simplesmente não considera o desejável crivo deste conselho, uma vez que baseado em legislação anacrônica e contrária às melhores práticas de governança em nível global”, escreveu.

Como noticiamos, a indicação de Ribeiro à presidência do BB foi formalizada pelo governo na segunda-feira 29. Ele substituirá André Brandão, que renunciou ao cargo no dia 18 de março. Funcionário de carreira desde 1988, Ribeiro será o terceiro presidente do banco no governo Bolsonaro.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.