Prévia da inflação desacelera e fica em 0,58% em janeiro

No acumulado dos últimos 12 meses, o IPCA-15 teve alta de 10,2%
-Publicidade-
Prévia da inflação mantém tendência de desaceleração
Prévia da inflação mantém tendência de desaceleração | Foto: Reprodução/Pixabay

Considerado a prévia da inflação oficial do país, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) registrou uma alta de 0,58% em janeiro. O resultado significa uma desaceleração do indicador, que havia ficado em 0,78% em dezembro do ano passado.

No acumulado dos últimos 12 meses, o IPCA-15 teve alta de 10,2% — abaixo dos 10,42% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira, 26, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado do primeiro mês deste ano foi influenciado pelo recuo nos transportes (-0,41%), principalmente pela queda nos preços da gasolina (-1,78%) e das passagens aéreas (-18,21%). Também tiveram variações negativas o etanol (-3,89%) e o gás veicular (-0,26%).

-Publicidade-

Os outros oito grupos de produtos e serviços pesquisados pelo IBGE fecharam em alta em janeiro. Alimentação e bebidas subiram 0,97%, com os maiores impactos registrados em cebola (17,09%), frutas (7,1%), café moído (6,5%) e carnes (1,15%).

Por outro lado, houve queda nos preços da batata inglesa (-9,2%), do arroz (-2,99%) e do leite longa vida (-1,7%).

A alimentação fora do domicílio acelerou, na comparação com dezembro (0,08%).

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário Ver comentários

  1. Não sou economista e muito menos espeialista em alguma coisa ou coisa nenhuma, como pensam alguns desmiolados por aqui. Mas eu acho que os combustíveis são a base de tudo, uma inflação neste setor, influencia praticamente em tudo. Na agricultura moderna pelo seu algo grau de mecanização, depende fundamentalmente do preço do óleo diesel, na indústria nos processos industriais para geração de calor, depende fundamentalmente do gás e vai por aí afora. Se formos enumerar isso aqui, ficaria um texto por demais extenso. A produção de alimentos, embora dependa diretamente de combustíveis, existem fatores climáticos que influenciam por demais na inflação de alguns insumos. Enfim, as variáveis são tantas que o dragão inflacionário é de difícil controle, devemos reconhecer.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.