‘Se piorar, prefiro não ter’, diz Guedes sobre reforma tributária

Texto está parado no Congresso e vem sendo alvo de críticas de empresários, Estados e municípios
-Publicidade-
O ministro da Economia, Paulo Guedes, falou sobre a tramitação da reforma tributária no Congresso
O ministro da Economia, Paulo Guedes, falou sobre a tramitação da reforma tributária no Congresso | Foto: Mateus Bonomi/Agência de Fotografia/Estadão Conteúdo

O ministro da Economia, Paulo Guedes, colocou em dúvida nesta sexta-feira, 20, a aprovação da reforma tributária pelo Congresso Nacional. Segundo ele, se o texto acabar piorando o atual modelo, é melhor que não passe no Parlamento.

A primeira etapa da reforma foi encaminhada pelo governo ao Congresso no ano passado e prevê a unificação de alguns tributos. A segunda fase, enviada em junho deste ano, propõe mudanças no Imposto de Renda de pessoas físicas e jurídicas, entre outros pontos.

Reportagem especial: “Reforma tributária tem pontos positivos, mas frustrou expectativas, dizem analistas”

-Publicidade-

Tem muita gente gritando que está piorando, mas é quem vai começar a pagar. Temos de ver mesmo se vai piorar ou não. Se chegarmos mesmo à conclusão de que vai piorar, eu prefiro não ter [a reforma]. E piorar, para mim, é aumentar imposto, tributar gente que não pode ser tributada, é fazer alguma coisa que prejudique Estado ou município, que eu acho que não está prejudicando”, afirmou Guedes durante uma audiência pública no Senado.

Leia também: “Relator da reforma projeta ‘mudança estrutural’ na tributação sobre a renda”

“Para quem está aumentando [a tributação]? Para lucros e dividendos. Se pagou na empresa, não pagou nada, pagou zero. Quem pagou foi a sua empresa. No Brasil, está cheio de gente rica e empresa pobre. O Brasil tem empresas extraordinárias, que sobreviveram a esse manicômio tributário”, completou o ministro da Economia.

Leia também: “Ubiratan Iorio: ‘A reforma tributária é um remendo’”, entrevista publicada na Edição 70 da Revista Oeste

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

2 comentários

  1. Tomasi diLampedusa dizia que era preciso que tudo mudasse para que tudo permanecesse na mesma. O Congresso brasileiro vai além do autor de “O Leopardo”: por que deixar na mesma, se a gente pode piorar?

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro