Secretário do Tesouro informa que o novo Bolsa Família custará R$ 60 bi

Bruno Funchal afirma que o Auxílio Brasil dependerá da aprovação da reforma do Imposto de Renda e da PEC dos precatórios
-Publicidade-
Famílias devem receber parcelas de R$ 300 com o novo Bolsa Família
Famílias devem receber parcelas de R$ 300 com o novo Bolsa Família | Foto: Caio Rocha/Estadão Conteúdo

Em 2022, o Auxílio Brasil (novo Bolsa Família) vai custar R$ 60 bilhões e dependerá da aprovação da reforma do Imposto de Renda (IR). É o que informou o secretário do Tesouro Nacional, Bruno Funchal, na quinta-feira 23. Espera-se que a taxação de lucros e dividendos possa financiar o programa.

“Precisamos enfrentar a PEC dos precatórios para lidar com espaço da despesa e a do IR para ter a compensação”, declarou Funchal, em entrevista à rádio BandNews. “Não há mais tempo para um plano B”, disse o secretário, ao mencionar que as mudanças no IR estão avançadas.

Segundo Funchal, é necessário avançar na reforma do IR e na PEC dos precatórios nas próximas semanas, de modo que haja tempo suficiente para inserir o novo Bolsa Família no Orçamento de 2022. O governo corre para lançar a medida, visto que o auxílio emergencial termina em outubro.

-Publicidade-

Leia também: “A tese otimista de Paulo Guedes”, artigo de Rodrigo Constantino publicado na Edição 78 da Revista Oeste

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.