Senado autoriza produtores a venderem etanol aos postos

Proposta segue agora para sanção do presidente Jair Bolsonaro
-Publicidade-
Fabricantes e importadores de etanol hidratado poderão vender diretamente aos postos
Fabricantes e importadores de etanol hidratado poderão vender diretamente aos postos | Foto: Reprodução

O Senado aprovou nesta quarta-feira, 8, por 71 votos a zero, a medida provisória (MP) que autoriza fabricantes e importadores de etanol hidratado a venderem o produto diretamente para os postos de combustíveis, sem intermediação das distribuidoras.

Por se tratar de uma MP, as mudanças já estavam em vigor desde o dia da publicação, em 12 de agosto. No entanto, para se tornar uma legislação permanente, o texto precisava ser aprovado até sexta-feira 10. Agora, a proposta segue para a sanção do presidente Jair Bolsonaro.

“A possibilidade de produtores e importadores comercializarem etanol hidratado diretamente com comerciantes varejistas, dispensando a intermediação atualmente obrigatória de distribuidores, vem ao encontro da maior eficiência logística com benefícios diretos aos consumidores brasileiros”, justificou o governo ao enviar a proposta ao Congresso.

-Publicidade-

A MP também altera a incidência da contribuição para o PIS-Pasep e da Cofins sobre o etanol anidro quando destinado à mistura com a gasolina. De acordo com o governo, o objetivo é equalizar a incidência tributária entre o produto nacional e o importado.

O texto do governo permitia, inicialmente, que os postos com marca comercial de um distribuidor vendessem combustíveis de outros fornecedores, desde que informassem isso aos consumidores. Esse trecho, entretanto, foi retirado pelos parlamentares.

A proposta libera ainda a revenda varejista de gasolina e etanol hidratado fora do estabelecimento autorizado, “sem limitação geográfica e terrena”.

A medida depende de regulamentação da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Com informações da TV Globo

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

4 comentários Ver comentários

  1. Em princípio parece ser uma boa alternativa para os consumidores, porém, ah porém, isso também pode ser uma faca de dois legumes, onde se pode adicionar tudo que é porcaria nesse combustível, que não terá controle de qualidade algum. É só um palpite de um “especialista em nada”.

      1. Concordo Moisés, nada mudaria em termos de qualidade, os postos de combustíveis já agem no sentido de manter a qualidade, essa outra situação de vender combustível fora da área dos postos vejo tbm como boa iniciativa, vamos diminuir os acordos de preço entre os proprietários.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.