Sindicato convoca servidores do BC a entregarem cargos e ameaça iniciar greve

Funcionários querem reajuste salarial
-Publicidade-
Servidores também querem reunião com Campos Neto
Servidores também querem reunião com Campos Neto | Foto: Arquivo/Agência Brasil

O Sindicato dos Servidores do Banco Central (Sinal) convocou a categoria a entregar os cargos comissionados em protesto por reajustes salariais nesta segunda-feira, 3. O BC tem 3,5 mil servidores na ativa e cerca de 500 funções comissionadas. Ainda não há um balanço da adesão.

O objetivo dos servidores do BC é pressionar por uma reunião com o presidente da autoridade monetária, Roberto Campos Neto, solicitada desde o fim do ano passado. A falta de funcionários em cargos comissionados do Banco Central pode dificultar o funcionamento da instituição.

O sindicato também está incentivando funcionários que devem substituir os comissionados a aderirem ao movimento. Segundo o Sinal, as atividades serão paralisadas no dia 18, em adesão ao movimento de servidores federais, organizado pelo Fórum Nacional Permanente de Carreiras Típicas dos Estados.

-Publicidade-

Conforme o Sinal, a reivindicação ocorre depois de o Congresso aprovar previsão de reposição salarial para policiais federais no Orçamento de 2022, com apoio do presidente Jair Bolsonaro. “A ideia é fazer reuniões virtuais com servidores de todo o Brasil para convencê-los a aderir”, informou o Sinal, em nota.

Até o momento, o BC não se pronunciou sobre o ato. O movimento de entrega de cargos começou a ganhar força nas últimas semanas com o protesto da Receita Federal (RF). Funcionários da RF querem um bônus de produtividade em seus salários, não previsto no novo Orçamento aprovado pelo Parlamento.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

16 comentários Ver comentários

  1. O funcionalismo público deveria ser enquadrado. Funcionários em cargos de confiança que reagem desta forma deveriam ganhar uma bola preta e nunca mais serem nomeados para cargos de chefia. Por outro lado, os salários destas categorias já são, via de regra, acima do mercado, e tem o benefício imoral da estabilidade. Mesmo os incompententes ou preguiçosos, não podem ser demitidos. A reforma administrativa deveria começar por aí.

  2. Eu falei que o presidente errou quando destinou no orçamento para 2022 1.7 BI com exclusividade para aumento de salário de policiais e teria um 2022 de paralizações. E o ano começou agora.

    1. funcionario publico em media ganha mais , tem estabilidade e pode ficar em casa na pandemia, nao perde emprego. se o salario nao agrada pode ir para a iiciativa privada.

  3. 3500 servidores…… Onde vivem??? O que fazem???? O que comem???
    É muita gente p um único banco…. O governo deveria promover uma política de demissão voluntária

    1. Sem dúvidas seria uma ótima idéia tranferir todas as funções e prerrogativas do BC para o Banco do Brasil ou caixa federal !
      Tenho certeza de que o povo brasileiro não irá notar diferença alguma .

      1. Vc ta misturando as coisas. O banco central e o xerife do mercado. Como os bancos comerciais poderiam regular a si mesmo? E formular politica economica, definir taxa de juros. Sua proposta e absurda.

  4. Excelente oportunidade para nos livrarmos dessa turma de petistas, corpo mole, sindicalizados, que só boicotam o governo. Se for verificar como entraram lá, metade foi arranjada.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.