Pix e WhatsApp: união pode estar próxima, informa BC

Anúncio da possível integração foi feito durante pelo presidente da autoridade monetária, Roberto Campos Neto
-Publicidade-
Foto: Divulgação/Pixabay
Foto: Divulgação/Pixabay

Pagamentos com Pix via WhatsApp podem se tornar realidade em breve. É o que sinalizou o presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, durante o evento Global Technology Summit 2021.

“Apenas autorizamos o WhatsApp porque avaliamos que ele está pronto para atuar”, disse Campos Neto, na quarta-feira 15. “Acho que o WhatsApp e o Pix vão se integrar”, acrescentou o chefe da autoridade monetária.

O presidente do BC disse ainda acreditar que o Pix vai impulsionar novos negócios no futuro. Além disso, afirmou que, em algum momento, o sistema vai substituir as transferências bancárias tradicionais.

-Publicidade-

“O Pix não só substituiu as formas tradicionais de pagamentos eletrônicos como também fez a receita financeira crescer”, observou Campos Neto.

Defensor da união Pix e WhatsApp, o presidente do BC disse ser fundamental que o sistema bancário se torne mais competitivo.

Início do uso do Pix

As operações de transferência utilizando o Pix começaram a ser feitas em dezembro de 2020. Inicialmente a novidade não foi bem encarada pelos bancários, mas eles mudaram de opinião. Em apenas cinco meses, a operação superou os pagamentos feitos com DOC, TEC e boleto bancário somados.

Em abril deste ano, 45% da população adulta do país já tinha usado o sistema em algum momento. Em junho o Pix, ele já respondia por 30% de todas as operações de pagamento no Brasil.

Para o presidente do BC, o Pix veio para substituir as velhas formas de fazer transações financeiras, mas também para realmente gerar um novo modelo de negócios para as pessoas.

Com informações do site Canaltech e do jornal Correio Braziliense

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário Ver comentários

  1. Num futuro não muito longinquo, os bancos vão se preocupar em somar os seus ganhos de capital a seus correntistas; afinal do que vivem e se alimentam os grandes conglomerados financeiros? O pix era impensável até um ano atrás; e hoje…

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.