OSCE: eleições dos EUA estão 'manchadas pela incerteza jurídica'

Edição da semana

Em Em 5 nov 2020, 14:50

Eleições dos EUA estão ‘manchadas pela incerteza jurídica’, diz entidade europeia

5 nov 2020, 14:50

Membros de organização estão acompanhando a disputa Biden X Trump

osce x trump - eleições dos estados unidos

Foto: Canva

A Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) divulgou na quarta-feira 4, seu parecer inicial sobre o processo eleitoral nos Estados Unidos. Com membros em solo norte-americano para acompanhar de perto a disputa entre o democrata Joe Biden e o republicano Donald Trump, a entidade europeia observou o que os números mostram até agora: que a briga pela presidência está competitiva, acirrada. Além disso, a instituição lamentou o risco de o procedimento ir para além das urnas.

Apuração ao vivo: Confira os Estados já fechados e os delegados que faltam

Em seu site, a OSCE define que as eleições norte-americanas estão “manchadas pela incerteza jurídica”. Nesse ponto, a entidade cita o “presidente em exercício” e demonstra discordar do integrante do Partido Republicano. Conforme noticiou Oeste, Trump pediu para encerrar a apuração na Pensilvânia e sinalizou que trabalhará pela recontagem em Wisconsin. Ele também se opôs desde o começo da campanha eleitoral contra a possibilidade de votos pelo correio. A OSCE, no entanto, pensa diferente.

Crítica a Trump

“Ninguém — nenhum político, nenhuma autoridade eleita — deve limitar o direito de voto do povo. Vindo depois de uma campanha tão dinâmica, certificar-se de que todos os votos sejam contados é uma obrigação fundamental para todos os ramos do governo”, declarou Michael Georg Link, coordenador da OSCE e líder da missão de observação das eleições dos Estados Unidos.

“Alegações infundadas de deficiências sistemáticas, notadamente pelo presidente em exercício”

Além de defender a contagem de todos os votos, Link faz crítica direta a Trump. De acordo com o representante da OSCE, o oponente de Biden falta com a verdade ao afirmar que pode ser vítima de esquema para tirá-lo do poder. “Alegações infundadas de deficiências sistemáticas, notadamente pelo presidente em exercício, inclusive na noite da eleição, prejudicam a confiança do público nas instituições democráticas.”

‘Cada voto deve ser contado’, pede Joe Biden

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

5 Comentários

  1. Em 1967 quando o mercenário polonês Rafal Ganowicz foi questionado como ele se sentia em matar um ser humano, ele respondeu : ”Eu não sei, eu apenas matei comunistas.”

    Responder
  2. A europa deveria se preocupar em não deixar mais muçulmanos fazedores de filho não entrarem mais pra fazer bagunça do que meter o bedelho nos EUA ou na Amazônia! Não encham o saco!

    Responder
  3. Todos peguem um ano e procurem os registros de óbito em Michigan. Então pegue essa referência com a pesquisa de informação! Se todos nós fizermos isso a quantidade de dados será enorme para mostrar a fraude ocorrendo. Espalhem essa mensagem.

    Responder
  4. Na pseudemocracia deles pode tudo, inclusive fraudar. A Europa já não é mais exemplo pra ninguém e mal conseguem cuidar de seus quintais cheios de ervas daninhas.

    Responder
    • Polônia, Hungria e Itália vão bem obrigado! Bloqueando os indesejáveis! E que soros vá pro inferno logo! A hora dele tá chegando! E os filhos e netos dele vão pro mesmo lugar se continuarem nessa desgrahça!

      Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O partido contra o Brasil

Ninguém ainda descobriu no planeta um jeito tão eficaz de concentrar renda quanto a fórmula usada para administrar as contas públicas no país

A paciência acabou

Os brasileiros começam a reagir à cassação dos direitos individuais

Os novos senhores do mundo

Os gigantes da tecnologia censuram Trump, fazem o que bem entendem e exercem um poder global desmedido. Isso é justo?

Eficácia

“Você demorou muito a comprar. Eficácia depende de rapidez” / “Poxa… Se eu soubesse teria comprado mais rápido. Ando muito dispersivo”

O culto à ignorância

Valorizar a educação formal e a cultura clássica virou preconceito elitista, um mau sinal para o futuro

Como surgiu o novo coronavírus?

A resposta mais provável, até o momento: o vírus teve origem em pesquisas com manipulação genética no Instituto de Virologia de Wuhan

Globalistas assanhados com Biden

Eles não costumam viver de fatos, apenas de narrativas. Adotam a visão estética de mundo, e por isso a ONU é seu maior símbolo

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês