-Publicidade-

Congresso certifica Biden e Trump anuncia transição

Posse do presidente eleito ocorrerá em 20 de janeiro
Manifestação no Congresso foi considerada um dia histórico
Manifestação no Congresso foi considerada um dia histórico | Fotomontagem/Internet

Depois de o Congresso dos Estados Unidos certificar a vitória de Joe Biden na madrugada desta quinta-feira, 7, o presidente Donald Trump anunciou que haverá uma transição ordenada em 20 de janeiro. A data marca a posse do democrata. “Mesmo que eu discorde totalmente do resultado da eleição, e os fatos me confirmem, haverá uma transição ordenada”, anunciou Trump, através de um porta-voz da Casa Branca, ao insinuar que não jogará a toalha acerca de supostas fraudes que, segundo ele, ocorreram na disputa pelo Poder Executivo. Trump promete levar o caso à Suprema Corte.

Embora isso represente o fim do maior primeiro mandato da história presidencial, é apenas o começo de nossa luta para tornar a América grande de novo”, acrescentou o republicano. No Congresso, o reconhecimento dos votos do Colégio Eleitoral foi interrompido, na tarde de ontem, depois que manifestantes entraram no edifício — a colunista de Oeste Ana Paula Henkel chamou o dia de “histórico”. Contudo, o vice-presidente do país, Mike Pence, já havia reconhecido a eleição de Biden, apesar dos pedidos para não fazê-lo. A sessão foi retomada hoje e proclamada a vitória do democrata.

Leia também o artigo de Rodrigo Constantino publicado na edição 33 da Revista Oeste: O que esperar de um governo Biden?

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

10 comentários

  1. Finalmente, Biden terá chance de provar se o idealismo socioprogressista funciona ou não. Se não funcionar na maior nação do mundo, não funcionária em lugar nenhum. Eu acredito, pelo vista até agora, que se trata apenas de mais um populista a surfar nessa onda que invadiu as mentes mais frágeis ou picaretas do mundo ocidental.

    1. Não funciona e ele não vai ter essa chance. Dar essa chance é ser estúpido. Qualquer pessoa de bom senso e bom conhecimento sabe que não funcionar, e dar essa chance significa enfraquecer os EUA ainda mais perante os globalistas.

      Seu governo será ingovernável, e o caminho dos republicanos e seus eleitores é tornar a vida de Biden difícil e, principalmente, continuar trabalhando para expor a fraude eleitoral para que mudanças sólidas e boas sejam feitas para que não haja, ou haja o mínimo possível, de fraude a partir das eleições de meio-termo em 2022.

      Tenho a certeza de que, sem fraude, os republicanos não perdem nem as casas nem a presidência, então é lutar para mexer no sistema eleitoral e expor e punir os envolvidos. É preparar o terreno para uma eleição justa em 2022, e também tornar a vida de Biden (ou melhor, de Kamala) difícil nessa caminhada.

      É importante também o fortalecimento da mídia de direita e das mídias sociais alternativas, como o Parler e Rumble, e todos juntos (incluindo políticos) criarem sua própria narrativa em vez de ficarem dançando à narrativa da esquerda.

      1. Concordo em termos….talvez nem tentem demonstrar a fraude eleitoral porque com o tanto de dinheiro que eles (democratas) tem vão comprar qualquer um.

  2. Eu quero saber o que essa revista acha da invasão do Capitólio ocorrida ontem. Não vão falar nada a respeito? Acham que ela fere a democracia ou apoiam atos deste tipo?

      1. Foram os antifas que invadiram, tem várias imagens comprovando isso

  3. A vitória de Biden é a vitória mais significativa das oligarquias sobre as democracias. A vitória das tiranias sobre a liberdade. Os EUA passam a ser mais um país de partido único, que poderia ser chamado de Partido Oligárquico, ou Aristocrático, ou dos Lordes, ou da Elite Iluminada. Não há esquerda ou direita, existe apenas a disputa de poder para administrar dinheiro.

  4. Não conheço quais méritos teve o presidente Trump, mas aceito os que nos transmitem Ana Paula, Constantino, Fiuzza e alguns outros jornalistas considerados conservadores, como entendo ser a maioria da população americana e brasileira. O que me impressionou foi ver Trump se encontrar amistosamente com Kim Jong-Un presidente da Coreia do Norte, na Coreia do Norte, depois de ter ameaçado arrasa-la caso continuassem com os testes nucleares. Ditador não faz isso.
    Agora, se essa vitória do Biden foi conquistada com fraudes nas urnas como nunca se viu nos EUA, creio que a Suprema Corte Americana ainda vai investigar. Para quem gosta do que pensa Barroso, como observador disse que não viu fraudes. Curioso foram as manifestações do Maia, Barroso e outros progressistas nacionais, criticando o atentado a democracia de forças autoritárias nessa invasão ao Congresso, bem no estilo que tentam atribuir ao nosso governo. Falar que a maior democracia do mundo viveu com Trump um regime autoritário é próprio de quem aplaude Maduro, Fidel, Kirchner e outros democratas de estimação. Vamos torcer para que os democratas e os republicanos verdadeiramente democratas, não permitam agressões totalitárias ditas progressistas na democracia americana. Até para o bem de nosso pais.

  5. Trump nao perdeu. O estamento burocratico corrupto foi quem ganhou. As fraudes sao gritantes. Assim como o establishment dizia que nao havia provas contra Lula, o mesmo ocorre nos EUA no caso das fraudes eleitorais. Na verdade, quem realmente governa o planeta, sao os meios de comunicacao. A pandemia foi planejada para derrubar Trump, anabolizada pela midia e aproveitada pelos politicos de ocasiao. O proximo da lista deles eh o Bolsonaro.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês