Em aceno ao Planalto, Senado aprova indicação de embaixadores

Edição da semana

Em Em 23 set 2020, 15:52

Em aceno ao Planalto, Senado aprova indicação de embaixadores

23 set 2020, 15:52

Em força-tarefa orquestrada por Alcolumbre e líderes do governo, Casa aprovou o nome de 32 autoridades indicadas por Bolsonaro

embaixadores

Votação presencial ocorreu depois de seis meses de sessões virtuais
Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Na retomada dos trabalhos presenciais, o Senado promoveu uma força-tarefa para aprovar a indicação de 32 embaixadores. Os nomes são indicados pelo presidente Jair Bolsonaro mas precisam do aval dos senadores.

Os aprovados poderão chefiar embaixadas brasileiras em 43 países e duas entidades internacionais.

Entre os nomes aprovados, Nestor José Forster Junior vai ocupar o cargo de embaixador do Brasil nos Estados Unidos. O diplomata já ocupava o cargo, de forma interina, desde o ano passado.

A “força-tarefa” para aprovar os nomes foi orquestrada pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e líderes do governo. As votações precisavam ser secretas, o que não poderia ocorrer por meio das sessões virtuais que a Casa adotou desde o início da pandemia. Na busca por sua reeleição, Alcolumbre vem dando prioridade a pautas de interesse do Palácio do Planalto.

Aliás, após a primeira rodada de votações, que ocorreu na terça-feira, 22, os senadores se reuniram para um jantar oferecido pelo vice-líder do governo no Senado, Izalci Lucas (PSDB-DF).

Nomes aprovados

  1. Rodrigo do Amaral Souza (Trinidad e Tobago);
  2. Arthur Henrique Villanova Nogueira (Zâmbia);
  3. Antonio José Maria de Souza e Silva (Filipinas);
  4. Rodrigo de Azeredo Santos (Dinamarca);
  5. Paulo Roberto de Castilhos França (Países Baixos);
  6. Oswaldo Biato Júnior (Geórgia);
  7. Francisco Brasil de Holanda (Kuwait);
  8. Norton Mello Rapesta (Ucrânia);
  9. Colbert Pinto Junior (Cabo Verde);
  10. Marcel Fortuna Biato (Irlanda);
  11. Carlos da Rocha Paranhos (Myanmar);
  12. Luís Villafañe Santos (Iraque);
  13. Renato Menezes (Congo);
  14. Flávio Lima Rocha Júnior (Botsuana);
  15. Bruno Luiz dos Santos Cobuccio (Senegal);
  16. Rafael de Mello Vidal (Angola);
  17. Regina Célia de Oliveira Bittencourt (Benim);
  18. José Carlos Leitão (Costa do Marfim);
  19. Ellen Ferreira de Barros (Burkina Faso);
  20. Laudemar de Aguiar Neto (Irã);
  21. Sérgio Danese (África do Sul);
  22. Gerson Menandro Garcia de Freitas (Israel);
  23. Reinaldo de Almeida Salgado (Argentina);
  24. Paulo Roberto Soares Pacheco (Chile);
  25. Antônio Carlos de Salles Menezes (Guiné);
  26. Maurício Medeiros de Assis (Timor-Leste);
  27. José Antonio Gomes Piras (Estônia);
  28. Eduardo de Ribas Guedes (Mali);
  29. José Raphael Lopes de Azeredo (Suriname);
  30. Carlos Alberto Michaelsen den Hartog (Nepal);
  31. Norberto Moretti (Organização de Aviação Civil Internacional);
  32. Carlos Sobral Duarte (Agência Internacional de Energia Atômica).

 

 

 

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

3 Comentários

  1. Ótimo. Que tenham patriotismo, façam um ótimo trabalho e defendam o melhor ao Brasil.

    Responder
  2. Um ano pra aprovar um embaixador
    Nosso senado é uma piada

    Responder
  3. Não fizeram mais que a obrigação! Para isso são pagos e muito bem pagos.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

Um caso de amor com a tirania

Na França, é cada vez mais evidente o namoro com o autoritarismo sob o disfarce da racionalidade, da competência administrativa, do bem comum, da justiça social

A obsessão da imprensa por Donald Trump

Com o único propósito de ser anti-Trump, a mídia não saberá o que fazer se não puder culpar o bufão laranja por todo o mal que eventualmente venha a acontecer

O Guevara da Daslu

Faça como Doria. Pare diante do espelho, fale meia dúzia de clichês do humanismo de butique e note que você também tem um corpinho de centro-esquerda

A China e a fábula dos pardais

Enquanto o discurso ambientalista foca a Amazônia e as mudanças climáticas, a China segue com suas práticas predatórias e não assume responsabilidades

O gênio e o mito

Maradona não deveria ser uma referência moral para ninguém. Mas é um equívoco não homenageá-lo por seu futebol-arte

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

O que é o projeto BR do Mar?

O que é o projeto BR do Mar?

Texto tramita em regime de urgência na Câmara dos Deputados e pode ser votado a qualquer momento no plenário...

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês