Em carreatas, manifestantes protestam contra Maia e ministros do STF - Revista Oeste

Edição da semana

Em Em 19 abr 2020, 20:09

Em carreatas, manifestantes protestam contra Maia e ministros do STF

19 abr 2020, 20:09

A insatisfação se dá porque representantes dos dois poderes vêm impondo entraves à gestão do presidente Bolsonaro

Apoiadores do presidente Bolsonaro fecham a Avenida Paulista, em São Paulo, na tarde deste domingo
Foto: NILTON FUKUDA/ESTADÃO CONTEÚDO

Oito Estados mais o Distrito Federal registraram protestos contra o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) neste domingo, 19. Além do DF, São Paulo, Rio Grande do Sul, Pernambuco, Ceará, Maranhão, Rio de Janeiro, Bahia e Paraná tiveram várias carreatas e buzinaços que pediram, também, o relaxamento do isolamento social.

A insatisfação se dá por causa das mais recentes decisões antipopulares tomadas por parlamentares do Congresso Nacional e pelo Supremo. Representantes dos dois poderes vêm impondo entraves à gestão do presidente Bolsonaro, sobretudo no que diz respeito às diretrizes de combate ao coronavírus traçadas pelo Palácio do Planalto.

Na semana passada, por exemplo, deputados e senadores aprovaram um pacote de socorro financeiro a Estados e municípios. Alguns governadores e prefeitos decretaram medidas de isolamento social restritivas e, com isso, perderam dinheiro em arrecadação de impostos. O STF, ademais, retirou de Bolsonaro o poder de reabrir o comércio.

Hoje, conforme noticiou Oeste, Rodrigo Maia decidiu retaliar o governo, ao fechar um acordo com a oposição para que as medidas provisórias editadas por Bolsonaro caduquem. A postura do presidente da Câmara representou mais combustível para as carreatas de hoje, convocadas pelo movimento democrático Nas Ruas há cinco dias.

Análise de redes sociais

Foto: JASON HOWIE/FLICKR

A movimentação foi intensa no Twitter. A hashtag “TchauMaia” chegou aos trending topics às 10 horas e, a partir daí, cresceu até alcançar o segundo lugar, às 13 horas. Então, manteve a posição por duas horas e foi perdendo força até deixar os assuntos mais comentados às 17 horas. Por fim, totalizou 184 mil engajamentos.

Na rede social, os deputados federais pelo PSL paulista Eduardo Bolsonaro e Carla Zambelli foram os que mais contribuíram para alimentar a hashtag. O filho do presidente publicou uma fala de seu pai no quartel-general do Exército em Brasília neste domingo e conseguiu 17 mil curtidas, 4,5 mil retuítes e 1,5 mil comentários.

Já sua colega de partido, ao denunciar o acordão de Maia com a oposição, adquiriu 21,5 mil curtidas, 7 mil retuítes e 3,5 mil comentários. Cinco tuítes relacionados ao tema foram publicados hoje por Zambelli e somam mais de 50 mil engajamentos.

Contudo, a campanha “TchauMaia” não vingou no Instagram, em que teve pouco mais de 100 engajamentos de todos os que utilizaram a hashtag.

No Facebook, a aderência também foi positiva. A principal figura política de tração foi, novamente, Eduardo Bolsonaro, que publicou duas postagens referentes à manifestação. Uma delas obteve 19,4 mil curtidas, 3,7 mil comentários e 5,9 mil compartilhamentos. A segunda angariou 76 mil reações, 12,7 mil comentários e 7,3 mil compartilhamentos.

A página do Nas Ruas na rede social teve bom desempenho. O evento “MEGA Carreata Nacional” registrou 1,6 mil confirmações e 8,8 mil compartilhamentos. Durante todo o dia, transmissões foram feitas pelo movimento — uma delas com mais de 100 mil visualizações. Enquanto esta reportagem é redigida, o Nas Ruas publicou 43 postagens.

Pesquisas e repercussão na mídia

Foto: JOHN S/FLICKR

Na últimas 24 horas, os termos mais pesquisados no Google sobre a manifestação foram “Bolsonaro hoje”, “manifestação hoje pelo brasil”, “passeata paulista hoje 2020”. Todos os Estados demonstraram interesse pela figura do presidente da República, tendo sobressaído São Paulo.

A mídia tradicional disseminou a narrativa segundo a qual os protestos se dirigiam no sentido de fechar o Congresso e o Supremo. As informações publicadas focalizaram temas como o Ato Institucional n° 5, baixado pelo regime militar, e reivindicações pelo fim do isolamento social.

Por outro lado, sites de direita interpretaram as críticas das carreatas como direcionadas a parlamentares e ministros do STF, ou seja, não às instituições propriamente ditas. Além disso, a visão difundida foi de que os manifestantes querem a retomada da economia quanto antes, mas de forma lenta e gradual.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

7 Comentários

  1. Esses indivíduos nas pessoas físicas , após a epidemia, deveriam ser julgados como traidores e banidos do serviço público.

    Responder
  2. Com a demonstração de popularidade do presidente hj, acho q eles podem tirar o cavalinho da chuva. A narrativa sobre os apoiadores do Bolsonaro serem robôs não se sustenta após 58 milhões de votos, passeatas, carreatas, hashtags, Twittes…Alguém discorda?

    Responder
  3. Se a coisa pretear todos os velhos que estão em confinamento sairão para as ruas para espalhar o vírus no Congresso, no sTF e em alguns órgãos de imprensa, sob o clima de “morro, mas levo um montão de bandidos”.

    Responder
  4. Houve carreata na cidade de Salvador-BA, que partiu do Quartel da Mouraria. A pauta foi, também, no sentido de reabertura do comércio volta à normalidade. Foi bem significativa a quantidade de carros.

    Responder
  5. o Primeiro Ministro do Reino Unido usou a rede pública para se tratar do Covid-19. Prova de DEMOCRACIA – Lei igual para todos. Aqui, os servidores públicos estão usando o SUS, para tratamento ?

    Responder
  6. Era tudo marketing. Dória, ‘o novo, na política’, revelou-se um completo engodo, quer pelas frases de mofada demagogia, quer pela decisão de afoitamente parar o principal motor de riqueza do país. O ‘sagaz empresário’ já assegurou lugar na história como o mais incompetente político a ocupar o Palácio dos Bandeirantes.

    Responder
  7. O povo cansou dos desmando dessas intituiçoes que nao realidade nao sao mais casa do povo sao sim somentes Organizaçoes Criminosas so defendem esses instituçoes sao Globo Folha Estadao e algum outros que se beneficiaram com a corrupçao

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O império dos sem-voto

Há cada vez mais pessoas que nunca receberam um único voto na vida, e não têm mandato nenhum, dizendo o que o cidadão deve ou não deve fazer

O mal de roupa nova

O Partido Democrata não esconde as intenções: quer mais coletivismo, menos autonomia dos Estados, maior controle exercido pelo Executivo central e intervenção na economia

A nova Torre de Babel

Ao contrário do mito bíblico, a torre atual está sendo edificada com base na confusão proposital das palavras por indivíduos desprovidos de inteligência e coragem

Segundo turno nupcial

“Ué, você tá torcendo pra mim?” / “Não sei. Estou indeciso”

A imprensa morre no escuro

A atividade que já foi chamada de “quarto poder” escorrega perigosamente para a irrelevância

O resgate de Tocqueville

O desprezo pelo cristianismo, tão comum em meios “progressistas”, representa um perigoso afastamento dos pilares norte-americanos

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês