Em cursos on-line, colunistas buscam fortalecer o pensamento crítico

Edição da semana

Em Em 22 out 2020, 07:45

Em cursos, colunistas de ‘Oeste’ buscam fortalecer o pensamento crítico

22 out 2020, 07:45

Ana Paula Henkel, Bruno Garschagen e Rodrigo Constantino conduzem conteúdos on-line

cursos on-line - pensamento crítico - colunistas da Revista Oeste

Foto: Canva

Ensinar em detalhes conceitos políticos, explicar como a política americana se tornou pilar da civilização ocidental e destacar quem são os pensadores da liberdade. Essas são as novas missões assumidas por três colunistas da Revista Oeste: Ana Paula Henkel, Bruno Garschagen e Rodrigo Constantino. Em cursos on-line disponíveis na plataforma Cursology, eles buscam fortalecer o pensamento crítico do público.

Textos exclusivos de Augusto Nunes, J. R. Guzzo, Guilherme Fiuza e muito mais. Assine a Revista Oeste e vá “direto ao ponto” do que importa no jornalismo

Diretamente da Califórnia, nos Estados Unidos, para as aulas virtuais, Ana Paula está à frente do curso “Política Americana — Entendendo o Pilar da Civilização Ocidental”. Com conteúdo de 60 horas organizado em 15 módulos, ela aborda desde a estrutura institucional dos Estados Unidos a questões atuais, como “movimentos identitários, polarização partidária, política externa e bastidores do poder.”

“Traçar paralelos com o desenvolvimento histórico e político no Brasil, e sua repercussão em outras nações”

Segundo a equipe organizadora, o curso tem por finalidade “permitir aos alunos a compreensão de questões importantes da política e história dos EUA, incluindo federalismo, os três ramos do governo, partidos políticos e cultura política americana.” Além disso, o conteúdo possibilita “traçar paralelos com o desenvolvimento histórico e político no Brasil, e sua repercussão em outras nações.”

  • Política Americana — Entendendo o Pilar da Civilização Ocidental

Professora: Ana Paula Henkel
Investimento: R$ 828,00 (em até 12 vezes)
Aulas: 15
Carga horária: 60 horas
Status: matrículas abertas

Reunir em 16 horas de conteúdo e em quatro módulos o resultado de 13 anos de pesquisas, reflexões, textos e estudos. Assim pode ser definido o curso on-line “Para Entender a Política”, com Bruno Garschagen. Ele destaca que o nome escolhido não foi à toa. O cientista político — e agora professor — afirma que seu principal interesse com a iniciativa é ajudar o aluno a ter a real compreensão de conceitos como, por exemplo, Estado, governo, conservadorismo, liberalismo, comunismo, populismo e individualismo.

“Linguagem clara e simples, para que fosse compreensível para todo tipo de aluno”

Para isso, ele garante que buscou ser didático ao máximo. “Usei linguagem clara e simples, para que fosse compreensível para todo tipo de aluno, desde aquele que não tem qualquer conhecimento a respeito dos assuntos, passando por aquele que tem algum conhecimento até o aluno que já têm uma base, mas nunca teve acesso aos autores, à bibliografia e ao tipo de abordagem que faço nas aulas”, comenta Garschagen.

  • Para Entender a Política

Professor: Bruno Garschagen
Investimento: R$ 638,40 (em até 12 vezes)
Aulas: 4
Carga horária: 16 horas
Status: aguardando abertura para nova turma

Um liberal disposto a compartilhar o conhecimento adquirido ao longo das últimas duas décadas por meio de leituras de escritores que são referência nos campos do liberalismo e do conservadorismo. Dessa forma, Rodrigo Constantino apresenta o curso “Pensadores da Liberdade”, com base em 20 autores, classificados em quatro grupos: clássicos, austríacos, objetivistas e contemporâneos (este último conta com menção a outro colunista da Revista Oeste: o britânico Theodore Dalrymple).

“Provocando no aluno boas reflexões sobre o papel da razão e o papel da tradição

Sem medo de polêmica, Constantino busca promover uma boa discussão no decorrer da exposição do conteúdo. “Acredito que fui capaz de fazer um grande resumo da trajetória dessas ideias voltadas para a liberdade do indivíduo, provocando no aluno boas reflexões sobre o papel da razão e o papel da tradição, os conflitos entre individualismo e coletivismo, o escopo do Estado nisso tudo e o embate entre ideias revolucionárias mais utópicas e o apego àquilo que é mais familiar e existente”, afirma o economista, colunista e professor de curso on-line.

  • Pensadores da Liberdade

Professor: Rodrigo Constantino
Investimento: R$ 748,50 (em até 12 vezes)
Aulas: 4
Carga horária: 20 horas
Status: matrículas abertas

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 Comentário

  1. Super legal. Em breve me habito financeiramente.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O império dos sem-voto

Há cada vez mais pessoas que nunca receberam um único voto na vida, e não têm mandato nenhum, dizendo o que o cidadão deve ou não deve fazer

O mal de roupa nova

O Partido Democrata não esconde as intenções: quer mais coletivismo, menos autonomia dos Estados, maior controle exercido pelo Executivo central e intervenção na economia

A nova Torre de Babel

Ao contrário do mito bíblico, a torre atual está sendo edificada com base na confusão proposital das palavras por indivíduos desprovidos de inteligência e coragem

Segundo turno nupcial

“Ué, você tá torcendo pra mim?” / “Não sei. Estou indeciso”

A imprensa morre no escuro

A atividade que já foi chamada de “quarto poder” escorrega perigosamente para a irrelevância

O resgate de Tocqueville

O desprezo pelo cristianismo, tão comum em meios “progressistas”, representa um perigoso afastamento dos pilares norte-americanos

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês