Em reação à China, Austrália apresenta plano de defesa bilionário

Em 7 jul 2020, 16:20

Em reação à China, Austrália apresenta plano de defesa bilionário

7 jul 2020, 16:20

A Austrália vai implementar uma plano de 270 bilhões de dólares australianos, cerca de R$ 1 trilhão, para a defesa do país; Ameaças à segurança nacional e segurança cibernética serão priorizadas

Austrália defesa

um marinheiro australiano | Foto: Gavin Shields/ Departamento de Defesa

O plano que foi apresentado na semana passada pelo primeiro-ministro do país, Scott Morrison, recebeu inegavelmente amplo apoio de parlamentas governistas. A informação é da televisão australiana Sky News.

Para o senador governista Jim Molan, é fundamental que a Austrália desenvolva uma estratégia “muito clara” de defesa. Para ele, o país deve ser capaz de demonstrar que possui a capacidade de se defender de ameças externas.

“Agora, não podemos afirmar que iremos para a guerra em 5 ou 10 anos, mas podemos afirmar que certas nações estão tomando atitudes muito agressivas. Nós devemos nos posicionar e estar muito, muito mesmo, preparados para lidar com isso”, afirmou o parlamentar australiano.

Molan divulgou que a Marinha da Austrália vai participar certamente de uma série de exercícios com a Marinha dos EUA no Mar do Sul da China. Esses exercícios são para as duas marinhas aliadas coordenarem as suas estratégias de defesa. A Austrália e os EUA possuem uma forte parceria militar.

Coronavírus

A pandemia do coronavírus acabou gerando  uma crise diplomática entre a Austrália e o governo chinês, conforme já divulgado por Oeste.

Após a Austrália pedir uma investigação internacional sobre a origem do coronavírus, o governo da China fez ameças à Austrália. “Algumas pessoas estão tentando exagerar. O pedido para investigação é inconsistente e ocorre em meio a uma atmosfera internacional de cooperação. Essas manobras políticas não serão bem-sucedidas”, afirmou o Ministério das Relações Exteriores da China.

A Austrália não se curvou ao governo chinês e defendeu que Taiwan, que a China considera uma província rebelde, faça parte da Organização Mundial da Saúde.

A China impôs restrições à importação de carne e cevada australiana. O gigante asiático é, inegavelmente, o maior parceiro comercial do país da Oceania.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

2 Comentários

  1. Se a China brigar com o Brasil, os EUA e a Austrália, morrem de fome.

    Responder
    • O movimento tô e de estratégia. Não deve ser só militar. Pressionar a economia chinesa e seus flancos políticos. A União do Ocidente e de países asiáticos que se sentem ameaçados pela China é fundamental

      Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa news

Coronavírus

Oeste Notícias