Entenda o programa que descomplica relações trabalhistas

Edição da semana

Em Em 23 out 2020, 17:40

Entenda o programa que descomplica relações trabalhistas

23 out 2020, 17:40

Governo federal revoga normas e apresenta ações para simplificar o mercado

esocial simplificado e descomplica trabalhista - governo federal - empregadores

eSocial Simplificado é uma das novidades para o mercado de trabalho brasileiro, assim como o Descomplica Trabalhista | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O mercado de trabalho conta com novidades desde ontem. Em evento realizado diretamente do Palácio do Planalto, o governo federal anunciou — de uma vez só — a revogação de 48 normas trabalhistas. Regras essas que foram consideradas “obsoletas” pelo Poder Executivo e deram vez a “simplificações”. Lançaram-se, assim, o programa Descomplica Trabalhista e o Sistema Simplificado de Escrituração Digital de Obrigações Previdenciárias, Trabalhistas e Fiscais (eSocial Simplificado).

Leia mais: “Pequenos investidores terão acesso às BDRs; entenda”

Um dos mentores do projeto, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o objetivo principal é tirar o peso do Estado sobre os trabalhadores de todo o país. “Queríamos tirar, como sempre disse o presidente, o Estado do cangote das pessoas. Foram 11 ou 12 simplificações na agricultura, sete na infraestrutura, e ele [Bruno Bianco, secretário especial da Previdência e Trabalho] vai anunciar, daqui a duas semanas, duas mil simplificações”, prometeu ele, informa a Agência Brasil.

Enquanto os dois mil tópicos citados por Guedes ainda não são implementados, Oeste mostra o que Descomplica Trabalhista simplifica desde já.

Confira:

  • Fim da aplicação de normas urbanas para atividades no meio rural

Conforme explicado por Bianco, um exemplo era a obrigação por parte do empregador rural em “oferecer instalações permanentes de refeitórios ou de alojamentos, em atividades itinerantes, que muitas vezes são desenvolvidas sobre um cavalo.”

  • CPF como identificação do trabalhador

Dessa forma, documentos como PIS e Pasep não precisam mais ser registrados pelos empregadores.

  • Só o CPF… mesmo!

No mercado de trabalho, o PIS e o Pasep farão companhias ao RG e à Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Isso porque o governo avisa que esse pedido de informação para o empregador foi descartado.

  • Menos burocracia

O governo federal também informa que exigências que não estavam previstas em lei foram, finalmente, descartadas;

  • Ajudar em vez de punir

A ideia é parar de multar empregadores por falta de informações sobre funcionários. Com isso, os chamados “impedimentos” dão vez a avisos para que ocorra a “transmissão de dados” necessária junto as autoridades legais.

  • Parcerias locais

O eSocial Simplificado surge como parceiro das juntas comerciais espalhadas pelo Brasil. Com isso, uma empresa poderá se registrar e registrar colaboradores de uma única vez e com um único acesso.

  • Digitalização para microempreendedores

O sistema voltado a microempreendedores individuais (MEIs) contará, ao decorrer das próximas semanas, com novos recursos tecnológicos. Entre as novidades estará um assistente virtual.

  • Aplicativo para o empregador doméstico

O módulo voltado especificamente para quem emprega domésticas também foi simplificado. A ideia é permitir, por exemplo, o lançamento automático do 13º salário. Anteriormente, em agosto, um aplicativo exclusivo para empregadores domésticos já permitia fechar a folha de pagamento em poucos cliques.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O império dos sem-voto

Há cada vez mais pessoas que nunca receberam um único voto na vida, e não têm mandato nenhum, dizendo o que o cidadão deve ou não deve fazer

O mal de roupa nova

O Partido Democrata não esconde as intenções: quer mais coletivismo, menos autonomia dos Estados, maior controle exercido pelo Executivo central e intervenção na economia

A nova Torre de Babel

Ao contrário do mito bíblico, a torre atual está sendo edificada com base na confusão proposital das palavras por indivíduos desprovidos de inteligência e coragem

Segundo turno nupcial

“Ué, você tá torcendo pra mim?” / “Não sei. Estou indeciso”

A imprensa morre no escuro

A atividade que já foi chamada de “quarto poder” escorrega perigosamente para a irrelevância

O resgate de Tocqueville

O desprezo pelo cristianismo, tão comum em meios “progressistas”, representa um perigoso afastamento dos pilares norte-americanos

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês