Esquerda se une e usa a 'Folha' para cobrar debates na TV

Edição da semana

Em Em 25 out 2020, 12:20

Esquerda se une e usa a ‘Folha’ para cobrar debates na TV

25 out 2020, 12:20

Seis partidos reclamam da ausência de discussões entre candidatos

partidos da esquerda X emissoras de tv - debates

TV Bandeirantes exibiu debates entre candidatos à prefeitura do Rio de Janeiro. Partidos da esquerda querem que outras emissoras sigam o mesmo caminho | Foto: Reprodução/Band

A esquerda brasileira está unida. Ao menos na defesa da realização de debates eleitorais na TV entre candidatos às eleições 2020. Posicionamento esse tornado público neste domingo, 25, em artigo publicado na Folha de S. Paulo, jornal que já deu vez a colunista que desejou as mortes de Jair Bolsonaro e Donald Trump.

Leia mais: “PT vai usar horário eleitoral para fazer defesa de Lula”

O conteúdo é assinado em conjunto pelos presidentes de PT, PDT, PSB, Rede, PCdoB e Psol. Na Folha, as seis agremiações que representam a esquerda brasileira alegam que a ausência de debates eleitorais resulta em “democracia derrotada”. Até o momento, somente a TV Bandeirantes realizou encontro com postulantes às prefeituras de algumas das principais cidades do país.

Apesar de o país conviver desde março com a pandemia provocada pelo vírus chinês, situação em que figuras da esquerda encamparam o movimento do #FiqueEmCasa e políticas de isolamento social, os partidos reclamam agora da postura adotada por emissoras de televisão. Isso porque veículos de comunicação como Record TV, Rede TV e Rede Globo anunciaram que não irão promover debates devido à ausência de protocolos de segurança contra a disseminação do novo coronavírus.

“O argumento das emissoras de TV, de cancelar os eventos em razão da pandemia de covid-19, não se sustenta e traz um sério questionamento: estaria o interesse coletivo à mercê da vontade política de alguns meios de comunicação, mesmo sendo eles concessões públicas?”, questiona trecho do texto assinado por Carlos Lupi, Carlos Siqueira, Gleisi Hoffmann, Juliano Medeiros, Luciana Santos e Pedro Ivo. Eles são, respectivamente, presidentes de PDT, PSB, PT, Psol, PCdoB e Rede.

Segundo movimento

O artigo publicado na Folha de S. Paulo não é o primeiro movimento da esquerda na defesa da realização de debates televisivos entre candidatos. Na Câmara dos Deputados, dois parlamentares do Psol de São Paulo apresentaram projeto de lei que visa obrigar emissoras de rádio e televisão a produzir e exibir esse tipo de evento político.

Oeste nas eleições 2020: Confira as últimas notícias sobre o tema

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

2 Comentários

  1. Essa esquerda é o símbolo do atraso do Brasil. Causa-me pasmo como ainda há gente que tem coragem de votar nesses crápulas.

    Responder
  2. Estão sentindo que serão dizimados nestas eleições,
    Então querem palco para poder aparecer.
    E com (ajuda) dos mediadores, enganarem os viciados em TV.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O império dos sem-voto

Há cada vez mais pessoas que nunca receberam um único voto na vida, e não têm mandato nenhum, dizendo o que o cidadão deve ou não deve fazer

O mal de roupa nova

O Partido Democrata não esconde as intenções: quer mais coletivismo, menos autonomia dos Estados, maior controle exercido pelo Executivo central e intervenção na economia

A nova Torre de Babel

Ao contrário do mito bíblico, a torre atual está sendo edificada com base na confusão proposital das palavras por indivíduos desprovidos de inteligência e coragem

Segundo turno nupcial

“Ué, você tá torcendo pra mim?” / “Não sei. Estou indeciso”

A imprensa morre no escuro

A atividade que já foi chamada de “quarto poder” escorrega perigosamente para a irrelevância

O resgate de Tocqueville

O desprezo pelo cristianismo, tão comum em meios “progressistas”, representa um perigoso afastamento dos pilares norte-americanos

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês