Ex-secretário de Cristina Kirchner é morto na Argentina

Em 6 jul 2020, 07:30

Ex-secretário de Cristina Kirchner é morto na Argentina

6 jul 2020, 07:30

Fabián Gutiérrez era testemunha no caso “cadernos da corrupção”, que investiga subornos em obras públicas quando a vice-presidente comandava o país

Cristina Kirchner

A vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner | Foto: DIVULGAÇÃO/FLICKR

Fabián Gutiérrez, ex-secretário pessoal da vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner, no primeiro mandato dela à frente da Casa Rosada (2007-2011), foi encontrado morto no sábado 4, na cidade patagônica de El Calafate, a 2.750 quilômetros da capital Buenos Aires. Os investigadores constataram que ele foi assassinado. Um dos quatro suspeitos presos pela polícia confessou o crime.

Gutiérrez se afastou do poder em 2010. Contudo, oito anos depois, foi preso e processado por lavagem de dinheiro no caso conhecido como “cadernos da corrupção” (que apura supostos subornos em obras públicas durante o governo de Cristina). Assim sendo, tornou-se testemunha. À época, ele contou à Justiça que várias sacolas com dinheiro chegavam todas as noites à sede do governo.

O juiz que instrui o caso considera que o ex-secretário da atual vice-presidente foi assassinado em casa. Contudo, o corpo foi levado logo depois em um furgão para uma casa no bairro do Aeroporto Velho, propriedade de um dos detidos. É o que informa o jornal La Nación. “Trata-se de um homicídio”, disse o juiz Carlos Navarte. “Pode haver mais prisões”, afirmou o magistrado.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

9 Comentários

  1. Foro de São Paulo, assim como Celso Daniel.

    Responder
  2. Se matarem todas as testemunhas no não sobrará ninguém…

    Responder
  3. É típico dos amigos dos petistas.

    Responder
  4. O mesmo modus operand do PT.

    Responder
  5. Bem ao estilo PT

    Responder
  6. Vale a pena a redação resgatar o caso do Alberto Nisman.

    Responder
    • Esse assassinato tem ligações e laços muito além do que a gente imagina.
      Estou lendo o livro do Leonardo Coutinho, Hugo Chaves O Espectro, é impressionante os laços da Argentina com a Venezuela!

      Responder
  7. Tipo caso Celso Daniel,morreram simplesmente 6 testemunhas do caso,e nesse meio tem o legista que constatou que o Celso foi torturado antes de ser assassinado.
    Mas como o caso envolve profundamente a esquerda no Brasil,foi esquecido!

    Responder
  8. PODER MACABRO ☠☠

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa news

Coronavírus

Oeste Notícias