Facebook, Google e Microsoft repensam operações em Hong Kong

Em 8 jul 2020, 17:01

Facebook, Google e Microsoft repensam operações em Hong Kong

8 jul 2020, 17:01

Movimento é reflexo da Lei de Segurança Nacional que foi imposta à Hong Kong em 30 de junho pelo governo chinês

Google

Prédio do Google | Foto: Reprodução/Needpix

Microsoft, TikTok e Zoom se tornaram as mais recentes empresas a repensar as operações em Hong Kong após o início da nova lei de segurança nacional.

A medida imposta pela ditadura chinesa levantou preocupações sobre o uso de dados no território semi-autônomo.

LEIA MAIS: China prende professor que criticou Xi Jinping por causa da pandemia

A Microsoft e o Zoom, o aplicativo de videoconferência, disseram que bloqueariam temporariamente as autoridades de Hong Kong de acessar os dados do usuário quando solicitados.

Como destaca o jornal Financial Times, os movimentos ocorreram um dia depois que o Facebook, Google e Twitter, que não operam na China continental, anunciaram movimentos semelhantes.

A Apple, que gerou US$ 44 bilhões em receita na China no ano passado disse que estava “avaliando” o impacto da nova lei.

Lei de Segurança Nacional

A lei afirma que as forças de segurança têm autoridade para entrar e fazer buscas em propriedades e também impedir que as pessoas deixem a cidade.

Diplomatas, grupos empresariais e ativistas de direitos humanos disseram que este é o mais recente exemplo do aperto cada vez maior de Pequim no território.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa news

Coronavírus

Oeste Notícias