'Farc do Paraguai' expandem ações e pressionam governo - Revista Oeste

Edição da semana

Em Em 15 set 2020, 11:30

‘Farc do Paraguai’ expandem ações e pressionam governo

15 set 2020, 11:30

Facção criminosa vem crescendo silenciosamente na fronteira entre Paraguai e Brasil

farc do paraguai

Integrantes do EPP | Foto: REPRODUÇÃO/TWITTER

O sequestro do ex-vice-presidente do Paraguai Óscar Denis e de seu colaborador Adelio Mendoza, na quarta-feira 9, jogou luz sobre o Exército do Povo Paraguaio (EPP). O ato é considerado vingança à ação policial que resultou na morte de duas crianças, que seriam filhas de lideranças da organização, em um dos acampamentos do EPP. Em troca de Denis, os criminosos exigem a libertação de dois de seus membros presos e US$ 2 milhões em alimentos para ser entregues nas áreas onde o grupo atua. As cestas básicas são um recurso para comprar a simpatia dos camponeses.

Leia também: “9 curiosidades sobre o Foro de São Paulo”

Em suma, o EPP funciona como as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, popularmente conhecidas como Farc. E vem se expandindo silenciosamente na fronteira entre Paraguai e Brasil desde 2008, ano em que nasceu. Para piorar, a crença dos integrantes desse grupo mistura o marxismo com elementos das insurgências latino-americanas. Entre outros atos terroristas praticados pelo bando estão 77 atentados, cometidos desde 2010. E a disputa sangrenta pelo controle de territórios onde há intensa produção de maconha, traficada para o Brasil e a Argentina.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

7 Comentários

  1. Mais uma organização criminosa, que deve ser exterminada o quanto antes!!!

    Responder
  2. Vamos brincar de teoria da conspiração. Suponhamos q a intenção de governos vizinhos de esquerda de libertar o Brasil de um governo ditador d direita e q ameaça toda a segurança na américa do sul. Para poder combater este ditador, os paises vizinhos decidem desestabilizar o brasil, através de milícias armadas ligadas ao narcotráfico, até pq, boa parte da droga passa pelo Brasil, e é mandada para europa e Estados Unidos, e o Brasil vem dando prejuízos ao comércio de drogas. porém, esses países sabem q não conseguiriam sozinhos derrubar o atual governo ditador, e para isso, conta com o apoio d uma estrutura nos ógãos públicos, deixada pelo governo anterior q era de esquerda. Então seus aliados Brasileiros, libertam presos por causa do CIVID, outros q tenham até 2 anos d condenação, libertam menores q não tenham vaga no sistema de internação, proíbem de subir morros no Rio de Janeiro, até sobrevoo de helicópiteros em favelas, mesmo sendo alertados por relatório da policia civil, informando a existencia de mercenários estrangeiros nas favelas do Rio, q estariam treinando os traficantes, tudo isso p aumentar seu contigente, imaginem a união das facções brasileiras , os paramilitares e os narcotraficantes dos países vizinhos aliados para derrubar um governo ditador. calma é só ficção.

    Responder
    • Por um momento você me apavorou. Ainda bem que é ficção. Mas, pera aí…

      Responder
  3. É a narcoesquerda crescendo na AL. Ou roubam o dinheiro do contribuinte ou vendem drogas para eles.

    Responder
  4. Não é esquerda,nem direita…A “politica” desses bandidos,é o controle da produção e venda de drogas na região.Tudo o resto é enfeite,é coreografia…Trata-se de organização de traficantes que sob o pretexto de uma suposta “revolução”,convencem pessoas a se alistar e a lutar pela causa…Quando forem,se forem,reconhecidos como organização politica,os dirigentes viverão em eternas conversações de paz que nunca chegarão a um acordo,e se hospedarão em Cuba,onde viverão em grande estilo,enquanto os idiotas úteis morrerão e sofrerão lutando pela “revolução”…Neste filmeco,repetido,só resta saber qual o preço pago,pela hospedagem dos dirigentes em Cuba…

    Responder
  5. P.o.r.r.a., se metem pressão no governo, então quantos passos restam até invadirem o país?

    Responder
    • Essa história está se repetindo o que acontecia no final da década de 60 e durante a década de 70, os Militares da América do Sul é que livraram os países f desses Grupos.Brasil que não fique experto que o Rio de Janeiro estão formandos as FARC Urbana nas Favelas além do PCC.As FARC deu muito trabalho, aí da dá, para a Colômbia e graças a perseverança de Álvares Uribes, que estava conseguindo destruí lá até que os Colombianos entraram no papo furado de acordo, mediadores, Papa e Governo Cubano.Os Colombianos caíram na armadilha, ou seja, metade das FARC viraram políticos e outra metade disseram , conversa fiada, que eram dissidentes e ficaram nas matas, agora a Colômbia tem dois flancos de FARC um político outro barcoterroristas, ou eu estou delirando heim?

      Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O império dos sem-voto

Há cada vez mais pessoas que nunca receberam um único voto na vida, e não têm mandato nenhum, dizendo o que o cidadão deve ou não deve fazer

O mal de roupa nova

O Partido Democrata não esconde as intenções: quer mais coletivismo, menos autonomia dos Estados, maior controle exercido pelo Executivo central e intervenção na economia

A nova Torre de Babel

Ao contrário do mito bíblico, a torre atual está sendo edificada com base na confusão proposital das palavras por indivíduos desprovidos de inteligência e coragem

Segundo turno nupcial

“Ué, você tá torcendo pra mim?” / “Não sei. Estou indeciso”

A imprensa morre no escuro

A atividade que já foi chamada de “quarto poder” escorrega perigosamente para a irrelevância

O resgate de Tocqueville

O desprezo pelo cristianismo, tão comum em meios “progressistas”, representa um perigoso afastamento dos pilares norte-americanos

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês