França quer que pacote de ajuda da UE seja aprovado nesta semana

Edição da semana

Em 15 jul 2020, 10:16

França quer que pacote de ajuda da UE seja aprovado nesta semana

15 jul 2020, 10:16

País europeu quer 40 bilhões de euros para financiar a recuperação; pacote de ajuda apresenta resistência de alguns membros do bloco europeu

Pacote de ajuda

Foto: Pijon/Pixabay

A França acredita que é possível que a União Europeia (UE) chegue a um acordo sobre o pacote de ajuda ainda nesta semana. O anúncio foi feito nesta quarta-feira pela Presidência da França.

O governo francês espera obter um subsídio de cerca de 40 bilhões de euros do bloco europeu para financiar o seu plano de recuperação. Como já informado por Oeste, a economia francesa foi muito afetado pelo coronavírus. Somente no primeiro trimestre, a economia do país europeu sofreu um recuo de 5,3%.

A informação foi divulgada pela agência de notícias Reuters.

O Banco Central da França não acredita que a recuperação da economia do país vá ser rápida. A instituição financeira prevê que o PIB francês vai sofrer uma queda de 10% em 2020. A economia francesa eventualmente só retornará o nível de 2019 no final de 2022.

A estimativa, caso o coronavírus seja controlado, é que o PIB francês tenha um crescimento de 7% no próximo ano e de 4% em 2022. De acordo com o Banco Central francês, serão anos de “recuperação progressiva”.

Discussão difícil

O pacote de ajuda da União Europeia está sofrendo resistência de alguns países do bloco, como a Dinamarca e a Holanda. A chanceler da Alemanha, Angela Merkel já afirmou que as negociações serão inegavelmente difíceis.

A Alemanha, que é a maior economia do bloco, assumiu a presidência do Conselho da União Europeia neste mês e assumiu como prioridade a aprovação deste plano. O governo alemão espera que os países do bloco cheguem a um acordo até o final do mês.

A presidente do Banco Central Europeu, Christine Lagarde, está pressionando para que esse acordo seja aprovado rapidamente. Para Lagarde, esta demora pode causar danos, visto que o mercado eventualmente já espera a aprovação deste pacote.

“Ações decisivas e efetivas tomadas pelos governo nacionais e pelos atores Europeus mostraram o seu valor. Isso abriu o caminho para uma recuperação até o final do ano e nos ajudou a ganhar tempo. Isso está se refletindo no sentimento do mercado, mas se falharmos esse sentimento inegavelmente pode mudar”, concluiu.

 

 

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 Comentário

  1. A França precisa é de mais liberalismo e avançar em praticas pro mercado. Pais de alta renda quando sofre certos impactos econômicos seu viés estatal se desespera. E, se não for impressão minha, não vejo assertividade da França quanto as ações da China. O dragão aproveitou o fato dos países europeus estarem preocupados com a queda se suas economias para usar de agressividade militar no tocante à luta territorial contra vários países asiaticos. Hora da França se posicionar r mandar aviso a china para que pare com sua política expansionista

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

Supremas safadezas

Como os ministros do Pretório Excelso, o promotor da minha infância se julgava onipresente, onisciente e onipotente

A Suprema Corte e o abuso do poder

Quando juízes se tornam “superlegisladores”, as instituições se fragilizam e a sociedade perde a fé no sistema democrático

David Hume cancelado

Está em curso uma espécie de eugenia intelectual que conta com a simpatia ou covardia de reitores e professores de prestigiadas universidades internacionais

Vacina contra ditadura

Na ONU, Trump fez o que todo mundo com juízo deveria ter feito — e não fez, sabe-se lá por que mistério das escrituras empáticas

Alerta: pesquisas à vista!

Por que as sondagens eleitorais erram tanto, como isso distorce o processo democrático e o que se pode fazer

E chegamos à era dos ciborgues

Teremos nosso potencial mental multiplicado e nossas ações serão, literalmente, rápidas como o pensamento. O que faremos com esse novo poder?

Os intelectuais e a sociedade

Intelectuais ignoram que há mais sabedoria na população em geral do que num indivíduo qualquer, por mais inteligente que ele seja

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma guerra civil nos EUA?

A mídia recusa-se a noticiar o que é evidente aos olhos de seus espectadores, e intelectuais argumentam que “saques e protestos violentos são vivenciados como eventos alegres e libertadores”

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Revista Oeste — Edição 27 — 25/09/2020

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês