Gilmar e os Valentes da Live - Revista Oeste

Revista

Gilmar e os Valentes da Live
A Disneylândia da cruzada contra o fascismo imaginário transforma qualquer proscrito em herói, e isso foi irresistível para o ministro
17 jul 2020, 09:30

O genocídio digital de Gilmar Mendes fez o maior sucesso. Aliás, tem sido sempre assim: no que aparece na sua frente uma tela dividida com aquele monte de janelinhas, cada uma delas ocupada por uma cabecinha educada, ética, empática, simpática, solidária, civilizada, perfumada (não dá pra sentir o cheiro, mas tá quase), consciente, antifascista, quarentenada e culta, com cara de quem está no lugar certo, protegido pela ciência e pronto para repreender os ignorantes do mundo lá fora — enfim, quando você está diante de uma cena como essa, já sabe que vem merda.

E não deu outra. Gilmar Mendes, que era a criatura mais detestada do Brasil e hoje é um queridinho da grande imprensa — a militância contra o fascismo imaginário faz milagres —, deu um show. Mostrando que para os Valentes da Live verdade se faz em casa, Gilmar saiu inventando com grande fluência e desassombro. Os Valentes da Live não têm medo de nada.

O ex-vilão sabe que o confinamento burro campeão de contágio e responsável por 12 mil mortes diárias de fome no mundo é, no Brasil, obra do STF. Gilmar sabe que foi a Suprema Corte (ou seja, ele e seus colegas) quem deu a caneta mágica para governadores e prefeitos brincarem de fascismo (real) prendendo e arrebentando o cidadão — e recitando o famoso “fica em casa enquanto a gente rouba você”.

O mínimo que um picareta espera do seu ídolo é que ele minta com desenvoltura — e assim foi feito

Todo ladrão que ficou rico com o Covidão é grato aos supremos juízes que inventaram a pandemia estadual — e assim deram poderes mágicos aos tiranetes para montar as estatísticas que lhes rendessem mais hospitais de campanha fantasmas e respiradores superfaturados. Qualquer desses picaretas que ficaram milionários em dois meses fingindo salvar vidas, barbarizando os cidadãos sob o silêncio dos humanistas de Zoom, diria sem pestanejar: meu time é Gilmar e mais dez.

O craque do time não decepcionou. O mínimo que um picareta espera do seu ídolo é que ele minta com desenvoltura — e assim foi feito. Gilmar Mendes trocou tudo sem a menor inibição e disse que o descalabro patrocinado por togados, tiranetes e sanguessugas foi obra do governo federal e da militarização. Um genocídio. Enfim, um Valente da Live sabe quais são as palavrinhas mágicas que lhe darão as manchetes certas e os holofotes mais luminosos.

Não deixa de ser comovente assistir a um personagem execrado pela opinião pública como Gilmar Mendes se lambuzando no mel da mídia que o tratava como ser abjeto. Curiosamente, Gilmar havia feito um contraponto importante dentro do STF às tentativas da Corte de sabotar o impeachment de Dilma Rousseff. E também ajudou a expor as manobras conspiratórias em 2017 baseadas na delação forjada de Joesley Batista. Mas a Disneylândia da cruzada contra o fascismo imaginário transforma qualquer proscrito em herói, e isso foi irresistível para ele. Chegou a hora do banho de loja.

Um mundo ideal em que as pessoas permaneçam trancafiadas de pavor ou egoísmo (tanto faz)

Nessa mesma live estavam o médico Drauzio Varella, que disse no início da epidemia ser possível circular com responsabilidade, e o ex-ministro Henrique Mandetta, que pregou o lockdown horizontal, o isolamento total e se despediu do cargo abraçando-se ao vivo e sem máscara com seus auxiliares. Num alegre jogral com o genocídio digital de Gilmar, Mandetta disse que o ministro interino da Saúde, um militar especializado em logística, deveria na verdade ser especializado “em balística”, considerando-se a quantidade de mortos pela covid. Veja toda a empatia do ex-ministro da Saúde para com as vítimas fatais de uma epidemia e entenda a ética circense dos Valentes da Live.

Qual o mundo ideal para um Gilmar Mendes repaginado e toda a freguesia dessa fabulosa butique humanitária? É um mundo onde as pessoas permaneçam trancafiadas de pavor ou egoísmo (tanto faz) e não seja preciso nunca mais cruzar com alguém na rua, que aí complica. Eles vão lutar com todas as forças para que o novo paradigma de liberdade seja o pombal do Zoom.

Mais sobre o tema no artigo de J. R. Guzzo nesta edição, “A verdade sobre o STF”

 

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

58 Comentários

  1. Excelente, Fiuza, muito obrigada pela coragem, clareza e pertinência. Espero que a Revista Oeste cresça e faça frente alta e alarmante à grande imprensa que está com os lábios sujos e rotos de tanta mentira, manipulação e falta de ética.

    Responder
    • Gostei de seu comentário…nada a acrescentar!

      Responder
    • Vc é sensacional Fiuza

      Responder
      • Ninguém melhor do que Fiuza. Empata

        Responder
    • Exato

      Responder
    • Antes “cada um no seu quadrado” era cada um cuidando da própria vida e não da dos outros. A “Live” pandêmica, agora através da tecnologia como num passe de mágica fez com que as pessoas saiam de dentro do seu quadrado e ir até milhares de outras pensando ter o poder dominá-las, só por estar naquele agrupamento de quadrados, digo enquadramento. Pensam que podem falar o que querem sem ter consequências, não é assim, vide o Gilmar. Esqueceram ou não sabem que o povo acordou e agora pensa mais do que antes, está aprendendo a separar o joio do trigo, vê caguetas, traidores, demagogos e oportunistas despidos das costumeiras máscaras pelas lentes de um zoom onde as intenções por baixo do pano ficam visiveis.

      Responder
    • Fiuza sempre firme,claro e colocando as peças no seu devido lugar principalmente esse desonesto do Mandeta.

      Responder
    • Muito bom !!

      Responder
    • Parabéns ao brilhante colunista e ao autor do comentário preciso e esmerado

      Responder
  2. Cumprimentos Fiuza. E veja-se que os ministros (deveria usar em diminutivo?) alternam-se cavilosamente em dar declarações estapafúrdias reboadas pela mídia ativista-mentirosa, para boicotar o Executivo ou – quiçá? – como manobra diversionista para a evitar a repercussão da delação premiada em face do “amigo do amigo do meu pai”.

    Responder
    • Excelente. Coragem e verdade. Hoje tão pouco valorizada no jornalismo brasileiro. Parabéns Fiuza.

      Responder
    • Quem tem Gilmar Mendes não precisava da covid.

      Responder
    • Fiúza, dada a descrição dessa “live”, chega-se à conclusão de que ela foi de matar!

      Responder
  3. Parabéns, Fiuza, pelo texto delicioso. Nossa democracia já foi pro espaço e a bandidagem tomou conta do Congresso e do STF. A limpeza, se ainda for possível, será longa e dolorosa.

    Responder
  4. Gilmar Mendes é hoje o maior símbolo da degradação da Justiça Brasileira. Superou por uma cabeça o Alexandre de Moraes e Dias Toffoli. Não é a toa que o STF, em sua totalidade, tem hoje a pior formação da história. Digna de uma Republiqueta Bananeira de 5a categoria.

    Responder
    • Estamos muito perto da desobediência ciivil a respeito das decisões do Supremo que rasgou a Constituição e legisla de acordo com seus interesses. Não existe mais credibilidade nos atuais Ministros do Supremo.

      Responder
      • Não existe mesmo e estamos a um passo da desobediência civil. É só aguardar…

        Responder
    • O atual quadro de juízes do STF não lhes dá o direito ao título de ministros. São meros lobistas aparelhados que desonram a Justiça em seu todo. Pontificam Gilmar, Moraes,Lewandowski , Tofolli, Celso, Melo, Fux, Barroso, Fachin e as duas damas. Por ação ou omissão. Transformaram a Corte numa mercearia de secos e molhados.

      Responder
  5. #STFVergonhaNacional, pobre Brasil!

    Responder
  6. Fuiza, sempre sintetizando os fatos e as verdades, fazendo cair as narrativas! Parabéns Fuiza!

    Responder
    • Quem tem Gilmar Mendes não precisava da covid.

      Responder
    • Eu tenho acompanhado tudo desde o começo… Sou partidário de Bolsonaro e militante digital! Mas confesso que estou cansado. Não tem uma linha nos grandes jornais que seja sem viez esquerdopata! Eles batem 24h por dia… Dá nojo essa narrativa comunista! Temo que eles vençam pelo nosso cansaço! DEUS NOS DÊ FORÇA PARA LUTARMOS ATÉ O FIM… Parabéns Fiusa! Parabéns Revista Oeste!

      Responder
  7. Os assinantes da Revista Oeste estão se deliciando com os conteúdos das colunas desta edição e isso quer dizer que a turma do STF e seus admiradores devem estar cuspindo fogo. Cuidem-se, meninos. Se a campainha da casa de vocês tocar às 6 da manhã, nos avisem antes de abrir a porta. Saberemos que é hora de reunir o rebanho.

    Responder
    • Penso que um dos maiores desejos dos brasileiros que tem vergonha na cara é ver a campainha tocar às 6 horas da manhã nas residências dos 11 integrantes dessa “quadrilha jurídica”. Ciente de que isso jamais irá acontecer, fico à espera de que sejam toques de corneta.

      Responder
      • Fiuza, vc é um dos poucos jornalistas nesse mar de ” ideologias” que sabem analisar as situações de forma isenta.
        Gilmar Mendes de fato até outro dia era rejeitado pela mídia, agora q falou “palavrinhas mágicas”, a imprensa dá espaço para um homem desses?! É um absurdo mesmo.

        Responder
    • Muito bom texto Fiuza. Agora… meninos da Revista Oeste, vocês são bons demais. Cuidem-se! Daqui a pouco aparece um togado desses criando caso.

      Responder
  8. MUITO BOM. OS MINISTROS AINDA USAM VERBAS DA ITAIPU?.

    Responder
    • A provocação burra de um dos filhos do Bolsonaro em 2019, de que “pra fechar o STF bastam um Cabo e um Soldado”, foi o estopim pros 11 ministros do STF se fecharem contra o governo. Agora a narrativa da esquerda está a favor do STF, “contra seu fechamento”. Coisa que ninguém deveria querer, mas sim fazer o impeachment de cada um deles que agir contra a constituição. Têm que pressionar o Senado pra isso, por mais difícil que seja, é o caminho

      Responder
  9. Muito obrigado pelo artigo, Fiúza. Brilhante!!!

    Responder
  10. Gilmar Mendes tem que ser exemplarmente punido pelas suas declarações gravemente ofensivas contra o Governo Bolsonaro e as Forças Armadas. Só que não!
    O ministréco seria julgado pelos seus pares corporativistas e isso não acontecerá. O Senado, que poderia dar uma solução para esse abuso de poder do STF, não fará nada porque a maioria dos digníssimos senadores tem o rabo preso na Côrte, por corrupção. A começar pelo seu presidente, Davi Alcolumbre. Então, a justiça Brasileira continuará no patamar de Republiqueta Bananeira de 5a categoria. Uma vergonha.

    Responder
    • Colocações perfeitas, Fiúza. Parabéns a você e a Revista. Avante!

      Responder
  11. Tô achando que pode ser uma tentativa de reparação de uma das maiores burradas que eu já vi na vida: tiraram “do colo” do Presidente (e colocaram no colo dos governadores) a responsabilidade para enfrentar UMA PANDEMIA MUNDIAL SEM VACINA!!! O que poderia ser mais estúpido e idiota do que isso? E ainda por cima, deixaram para o Executivo a melhor parte: mandar o dinheiro! Ah, e também reforçavam as mortes e o Presidente exibia (e agora comprova) o remédio da cura! Pior que essa só o vídeo da reunião ministerial.

    Responder
  12. 👏👏👏👏👏👏👏👏👏🇧🇷🇧🇷🇧🇷

    Responder
  13. Como sempre, perfeito.

    Responder
  14. O Guilherme Fiúza nos surpreende se superando a cada artigo. Palavras certeiras, texto afiado, cortante. Se eu não fosse um caba arretado eu pedia esse macho em casamento! Vai ser porreta assim na baixa da égua!

    Responder
  15. Ótimo artigo.
    A verdade nua e crua.

    Responder
  16. 11 ministros e nenhum segredo. Canalhas.

    Responder
  17. O campeão de Habeas Corpus às sextas-feiras libertador de corruptos, principalmente do PSDB. O número de infrações e barbaridades cometidas por esse tirano faria ruborizar até o mais pérfido opressor. Prisão imediata para Darth Vader.

    Responder
  18. Não é possível enrolar por muito tempo uma população desempregada e sabotada em seus direitos fundamentais. A súcia do supremo, senado e câmara podem falar à vontade, mas as redes e as opiniões da população que trabalha duro todos os dias e sua para sustentar suas famílias, são indomáveis e darão a melhor respostas nas eleições. Parabéns, Fiuzza…. afiado como sempre.

    Responder
  19. Sempre espetacular os textos de Fiuzza, porque faz a narrativa detalhada do comportamento de Gilmar Mendes, quando intensamente crítico, reconhece ter feito importante contraponto no STF nas tentativas da Côrte de sabotar o impeachment da Dilma, e expôs as manobras conspiratórias na fajuta delação premiadíssima forjada pelo quarteto Janot/Joesley/Fachin/Globo contra Temer, provavelmente, para derrubar a reforma da previdência em Maio/17, e conseguiram.
    Há outros feitos interessantes como ter impedido LULA de tomar posse na Casa Civil da Dilma, com base na gravação que Moro tornou pública de Dilma e Lula, por obstrução da justiça, caso contrario Dilma não seria impedida. Outros fatos que considero importantes de Gilmar foram, a observação em plenário que o STF errou, ao julgar inconstitucional a Cláusula de Barreira, que poderia já há alguns anos atrás evitar essa parafernália de partidos, e o julgamento como relator da ação de inconstitucionalidade do voto impresso acoplado a urna eletrônica arguida pela PGR Raquel Dodge, de que não havia inconstitucionalidade, juntamente com Toffoli. Vale dizer que são risíveis os votos dos 8 ministros que consideraram inconstitucional porque tiraria o sigilo do voto. Ora, o bilhete impresso é blindado e fica numa urna eletrônica e não é levado para casa pelo eleitor como alguns jornalistas entendiam. Na minha opinião, faz-se necessário implantar esse voto impresso para as eleições de 2022, para evitar possíveis conflitos sociais caso haja um equilíbrio no segundo turno. Para quem conhece auditoria, é a unica forma de AUDITAR o voto eletrônico. Nesse caso, o STF condenou legislação constitucional, no meu entender arbitrariamente e não cumprindo a legislação aprovada pelo Congresso. Como fica a independência e harmonia dos poderes? Logico que não quero aqui homenagear Gilmar Mendes, mas ampliar o texto de Fiuzza, sobre o estranho comportamento desse ministro, que entendo é péssimo quando troca de posição quando conveniente, praticando o que outrora como AGU no governo FHC, atacando as decisões do STF, como MANICÔMIO JUDICIÁRIO. A manifestação no plenário, do pretenso iluminado e criativo Barroso(que espero não crie problemas para a chapa Bolsonaro/Mourão) quando disse a Gilmar: “você é uma pessoa horrível, uma mistura do mal com o atraso e pitadas de psicopatia”, demonstra bem o comportamento PÚBLICO desse poder, imaginem em reuniões secretas. Parabéns Fiuzza e lute pelo voto impresso para tranquilizar os eleitores que não haverá fraudes, que qualquer lado poderá arguir caso perca a eleição por pequena margem.

    Responder
  20. Parabéns Fiuza, seus comentários são sempre elegantes sem perder a clareza e objetividade. Esses personagens do STF no entanto terão que pagar no curto prazo os malefícios que estão causando ao país. Em 2021 as batatas dos togados começarão a assar. Falta pouco. Forte ahraço

    Responder
    • Muito bem abordada, Antônio Carlos, essa parte que vc pinçou, to ótimo texto do Fiuza. Não devemos esqueçer o papel decisivo de Gilmar tanto no impeachment de Diuma, como no episódio janoPT/joeslei/Maia/globo. Realmente aquela provocação do “jipe/cabo/soldado, desabocou nisso aí.

      Responder
  21. O mundo ideal, Fiúza? Acho que quem pode responder isto por nós são os psicólogos e psiquiatras, a meu ver, uma classe ausente no debate nacional. Resta-nos a esperança de que um fato extraordinário em algum momento mude o rumo das coisas, mas alguém já disse antes que “Esperança é coisa de fraco”. De fato: se você tem esperança é porque você ainda não chegou lá. Eles já chegaram.

    Responder
  22. Quando não são partidários e ideológicos, são isentonas! Ñ disse eu, q nessas qualificações tem algum CORRUPTO.
    A PRISÃO EM SEGUNDA INSTÂNCIA E O FIM DO FORO PRIVILEGIADO é IMINENTE, a PRESTAÇÃO DE CONTAS c o CONGRESSO, diretamente com quem nós trai descaradamente, representa o FIM do blá blá blá. Se ñ emplacam Fernando Bezerra e Ailton Lyra dia fev 21.

    Responder
  23. vc é jovem e não lembra; mas quando o GM era presidente da Corte o vai-e-vem em seu gabinete era extraordinário. Se alguém pegar a agenda dele daquela época verá que ele recebia mais de dez advogados por semana, tudo para tratar de processos. Só que a parte contrária era proibida de saber o que estavam falando no santo gabinete. Depois, levou uma mijada do Joaquinzão e ficou tudo na mesma. Ninguém foi verificar se o Gilmar tinha ou não capangas em sua fazenda. E poucos sabem que o ministro não poderia usufruir de empresa (nem que fosse da área educacional) em cargo diretivo onde ganha mordomias que não são chamadas de salário. Ôpa. Acho que exagerei. Desculpe.

    Responder
  24. Fiúza, a cada dia que passa respeito menos os seus colegas da imprensa. Só me restam os que trabalham aqui nessa magnífica revista e em, no máximo, uns dois outros sites. Obrigado pelo seu trabalho.

    Responder
    • A sua indignação é a todas as pessoas de bem.

      Responder
  25. Fiuza, sempre um show. Obrigado por suas análises.

    Responder
  26. Mais um texto maravilhoso, Fiuza.
    Disse tudo o que gostaríamos de dizer.
    Você é brilhante não apenas nas páginas da excelente Revista Oeste- à qual desejo vida eterna !-, mas também no Pingos nos Is , diariamente na Jovem Pan.
    Parabéns !

    Responder
  27. Cuidado!… em algum momento, vocês poderão receber a visita da PF, sob os auspícios de Alexandres, Gilmares ou Toffolis. Se isso acontecer, não façam como a Crusoe que se calou. Mantenham a linha. Terão sempre nosso apoio.

    Responder
    • A Crusoé não só se calou, como também mudou radica mente seu noticiário, por isso que cancelei minha assinatura, e vim para a Oeste, onde acredito que pela isenção de seus jornalistas e colunistas, não serei enganado.

      Responder
  28. Parabéns Fiuza – certeiro! O pretório excelso falando em genocídio, e o canalha do Pandetta balançando a cabeça em aprovação… todos felizes no pombal do Zoom, em que os pombos defecam na cabeça dos súditos amordaçados.

    Responder
  29. Parabéns pelo texto.

    Responder
  30. SENSACIONAL como sempre! IRRETOCÁVEL como de costume!
    Parabéns Fiuza e Oeste…é muito bom ver gente com coragem para dizer a verdade !

    Responder
  31. Fiúza sempre pontual e corajoso!

    A melhor ilustração da patota da pandemia foi a atitude do Mandetta, assim que deixou o cargo, em que confraternizou sem máscara.

    Responder
  32. Muito bom. Fico imaginando a cara do Beiçola lendo um artigo como esse.

    Responder
    • Vc continua de forma brilhante resumindo com clareza o que esta por trás do circo montado por pessoas públicas execráveis como esse Gilmar Mendes e os outros participantes. Eles não têm senso de ridículo ao fazer esse tipo de debate pq a sociedade conhece os canalhas por trás do disfarce de cada um deles.

      Responder
  33. Parabéns Fiuza pelo belíssimo texto.
    Não existe mesmo a menor credibilidade e estamos a um passinho da desobediência civil. É só aguardar…

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OESTE NOTÍCIAS

R$ 19,90 por mês