Globalismo, uma ideia cretina - Revista Oeste

Em 20 mar 2020, 12:01

Globalismo, uma ideia cretina

20 mar 2020, 12:01

Este ano de 2020 está sendo realmente uma desgraça para o globalismo – a tentativa de construir um mundo sem fronteiras, sem governos e mais ou menos sem países, livre do capitalismo e dirigido sabiamente por um condomínio de burocratas bem pagos de organizações internacionais (com estabilidade plena no emprego e aposentadoria integral), celebridades de esquerda como a ex-presidente chilena Michelle Bachelet e financistas bilionários. Primeiro foi a saída da Inglaterra da União Europeia, já em fevereiro – somos britânicos, decidiu a maioria do eleitorado, e não europeus, nem “cidadãos do mundo”. Agora vem esse coronavírus.

Na Itália, as autoridades locais da Toscana e do Lazio, num acesso de globalismo em modo extremo, lançaram o lema: “Abrace um chinês”. Hoje, com 3.000 mortos desde o início da epidemia, não se ouve mais um pio sobre essas fantasias de paz e amor entre os povos. Num dia só, ontem, morreram 475 pessoas na Itália, coisa que não aconteceu nem na China. Ideias cretinas são um perigo real. Podem matar pessoas.

Galeria Vittorio Emanuele, em Milão, na Itália, está deserta e com suas lojas fechadas devido à pandemia da covid-19  – Foto: CLAUDIO FURLAN / LA PRESSE / DIA ESPORTIVO / ESTADÃO CONTEÚDO

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

9 Comentários

  1. Maravilhoso comentário!!

    Responder
  2. Não adianta o Grande Mestre tem o dom da palavra .
    Muito bem.

    Responder
  3. Até quando vamos sofrer as consequências desses irresponsáveis?

    Responder
  4. Embora “Imagine”, música do Lennon pregue essa fraternidade, sabemos ser impossível.
    A utopia de um mundo só, sem fronteiras ou barreiras, esbarra na cultura, costumes e modo de ida de cada estado / país.
    Se, cada individuo é um mundo, impossuível generalizar os povos.

    Responder
  5. Perfeito. Globalismo é uma estupidez. Os países tem a sua identidade, cultura, valores.

    Responder
  6. Sem querer ser sádico, mas esta é a deixa pra se mudar isso tudo.Aliás a Itália seria a próxima a deixar a UE…

    Responder
  7. Grande Guzzo.

    Responder
  8. Parabéns, professor!

    Responder
  9. É bem isso Guzzo, o mundo está colhendo o que plantou. As fronteiras abertas proporcionaram a chegada de imigrantes que não possuem interesse em assimilar a cultura do país escolhido, trouxeram a segregação e, junto, vieram extremistas. A pandemia iniciada na China Comunista, fechada e controladora, sem transparência, colocou o mundo e a economia de joelhos, agora eles saem comprando tudo! Como fica?

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa news

Coronavírus

Oeste Notícias