Google e Apple dão detalhes sobre aplicativos de alerta sobre covid-19 - Revista Oeste

Edição da semana

Em 4 maio 2020, 20:05

Google e Apple dão detalhes sobre aplicativos de alerta sobre covid-19

4 maio 2020, 20:05

Empresas planejam lançar espécie de rastreador que informará quando alguém já infectado pela doença estiver por perto e apresentam amostras de possível interface

Foto: Divulgação/Apple

Nesta segunda-feira, a Apple e a Google divulgaram alguns novos detalhes sobre o sistema Bluetooth que estão incorporando a seus sistemais operacionais e permitirão às autoridades de saúde rastrear possíveis encontros com a covid-19.

As empresas deixam claro, no entanto, que apenas agências governamentais — de preferência em nível nacional, embora observem que estão dispostas a trabalhar com autoridades estaduais e regionais — terão permissão de acesso à programação do app.

Se esses aplicativos administrados pelo governo quiserem acessar o sistema baseado em Bluetooth da Apple e da Google, eles não poderão coletar dados de localização e deverão pedir consentimento antes de recolher informações sobre a proximidade do usuário com os outros. Esses programas também precisarão de permissão para carregar qualquer informação dos telefones de pessoas com resultado positivo em teste de detecção de coronavírus.

As duas empresas publicaram pela primeira vez exemplos de captura de tela da interface do usuário. A ideia central é que cada um forneça seus dados de saúde e, via Bluetooth, esses dados serão trocados entre os aparelhos. Se um indivíduo for infectado pelo coronavírus, poderá, então, colocar a notificação no celular e, quando uma pessoa se aproximar dele menos de 1,5 metro, ela será avisada e poderá fazer o teste de detecção da doença.

Tanto a Apple quanto a Google, entretanto, frisaram que a parte visual do aplicativo ficará a cargo de cada governo e que as imagens apenas mostram como podem ser as notificações.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

Vacinação sem vacina

Falar em obrigar a população inteira a se vacinar — com uma vacina que não existe — significa o quê? Um negócio da China?

Supremas diferenças

Ao compararmos o STF à Suprema Corte dos Estados Unidos, o choque é violento

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma guerra civil nos EUA?

A mídia recusa-se a noticiar o que é evidente aos olhos de seus espectadores, e intelectuais argumentam que “saques e protestos violentos são vivenciados como eventos alegres e libertadores”

Você não pode perder

Ciência, que é bom, nada

Ciência, que é bom, nada

"Desde o começo da epidemia a discussão vem sendo assim: política em primeiro lugar", afirma J.R. Guzzo...

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês